18 de abril de 2011

Pé Na Tábua - Segunda Etapa (17.04.2011)

Neste fim de semana foi realizada, no Top Kart Indoor (Barra) a segunda etapa válida pelo campeonato do grupo carioca de kart Pé Na Tábua. Tivemos uma prova bastante disputada e com muitos incidentes em suas três baterias (além da ótima bateria de convidados).

O dia também foi marcado pela excelente iniciativa do grupo, realizando uma ação social que teve como instituição beneficiada a Rehabilita Rio (que cuida de crianças portadoras de todos os tipos de necessidades especiais), recebendo doações de chocolates para a páscoa.


Análise da prova (ponto de vista do piloto)

Para esta etapa eu estava mais confiante de um bom resultado (em parte por ter tido um bom desempenho e um bom ritmo nos treinos coletivos de sábado à noite). No domingo, me surpreendeu alinhar para a largada na quarta colocação; com pelo menos dois adversários à frente (com mais o meu companheiro de equipe, Alter) a corrida não parecia ser tão difícil.

Larguei muito mal, e ainda na curva 1 eu já estava com o quinto colocado na parte de dentro para a tomada da curva. Tentei me manter no traçado que favorecia a tomada da curva 2, mas não tive sucesso; disputando com o Bruno Alter, fiquei preso na barreira de pneus e caí para a última colocação.

Com um bom ritmo e favorecido por adversários que estavam “segurando” o pelotão, consegui me recuperar em poucas voltas e entrar novamente na briga pela vitória. Fui bem oportunista no início; sem forçar muito a tocada, me aproveitei somente de erros e acidentes para ganhar posições. Em pouco tempo eu já estava em um bom 4º lugar, e esperava somente o desenrolar das primeiras posições para conseguir um eventual pódio. Fui muito pressionado pelo Jorge Amorim, e na tomada das curvas 5 e 6 (que fazem um S, após uma mini-reta) fui jogado contra a pilastra, caindo novamente para a última colocação.

Como da primeira vez, não tardei a alcançar o pelotão; e novamente em uma disputa de posição com o mesmo piloto, fui abalroado no mesmo local; o que (devido ao período em que a corrida já se encontrava) acabou com todas as minhas expectativas de uma boa prova. Jorge Amorim foi punido por conta dos dois incidentes que teve comigo, e achei sinceramente que ele seria desclassificado; fato que não aconteceu.

No final, me concentrei em andar forte, fazer o máximo de ultrapassagens (de forma limpa, todas), e marcar o máximo de pontos possíveis. No início, eu tinha condições reais de vitória (pois tinha um bom carro e um bom ritmo), mas, devido aos acontecimentos, fiquei feliz com a corrida; me diverti muito realizando todas as ultrapassagens.


Segue abaixo o resultado final da 3ª bateria:
(Nº do kart / Piloto / Nº de voltas / Volta mais rápida)

1º lugar: #08 Marcelo Galhardi – 34 voltas – 27.50 (29)
2º lugar: #07 Bruno Alter – 34 voltas – 26.92 (8)
3º lugar: #02 Leonardo Brazuna – 34 voltas – 27.50 (23)
4º lugar: #04 Jorge Amorim – 33 voltas – 27.01 (29)
5º lugar: #06 Jaime Boueri – 33 voltas – 27.36 (20)
6º lugar: #05 Mauro Jaimovich – 33 voltas – 28.50 (24)
7º lugar: #09 Alex Câmara – 33 voltas – 27.64 (20)
8º lugar: #01 Igor  Gomes – 33 voltas – 28.38 (7)

Nenhum comentário:

Postar um comentário