3 de abril de 2011

Sondermann

Depois de assistir ao vivo à  etapa carioca da Fórmula Truck, não acompanhei nenhum meio de comunicação até o final desta tarde. Navegando na internet há pouco (inclusive para postar sobre o resultado em Jacarepaguá) fiquei sabendo da tragédia ocorrida neste domingo em Interlagos.

Gustavo Sondermann, (piloto paulista, então com 29 anos) sofreu um trauma neurológico irreversível, em decorrência do acidente em que se envolveu nas primeiras voltas da Copa Montana. 

Assistindo o vídeo na internet em busca de maiores detalhes sobre o acidente, nota-se claramente uma condição de pista em que os carros não deveriam nem mesmo serem autorizados a largar... E então, debaixo de um aguaceiro danado, a traiçoeira Curva do Café fez mais uma vítima. Triste coincidência: Em 2007, o então companheiro de Sondermann, Rafael Sperafico morreu de maneira semelhante, no mesmo local.

Ainda é cedo para apontar causas e/ou culpados pelo acidente, mas, a foto abaixo mostra no mínimo uma primeira linha de raciocínio; pois mostra claramente o pneu traseiro direito montado errado (!).


O domingo já chega ao fim, e a excelentíssima autoridade máxima do automobilismo nacional não se pronuncia, nem mesmo para anunciar uma investigação! A Curva do Café já deveria ter sido extinta há muito tempo: Fernando Alonso bateu feio em 2003, e perdemos dois jovens (e talentosos) pilotos em menos de 4 anos (esses, casos de que me recordo rapidamente)... Quantos ainda terão de morrer para que se tome providências? Uma chicane, uma área de escape... Que seja feita qualquer coisa; mas que se faça algo!

Não vou nem entrar no assunto da segurança oferecida pelos chassis tubulares utilizados por aqui (não tenho conhecimento para isso, mas nada me tira da cabeça que, de um modo geral, não são seguros).

Enfim, certas horas não temos vontade (e nem palavras) para mais nada...

Descanse em paz Sondermann!

Nenhum comentário:

Postar um comentário