3 de junho de 2011

Pé Na Tábua - Terceira Etapa (22.05.2011)

Para ser bem sincero, pensei duas vezes antes de participar desta etapa. Não achava válido me desgastar em uma viagem de aproximadamente 180Km para correr uma bateria de kart numa pista em que o tempo de volta gira em torno de 30s.

Mas, o prazer de pilotar me levou até Búzios. E, mesmo lendo os comentários sobre a pista, quando cheguei me surpreendi com o seu tamanho. Composta basicamente de 4 curvas (3 para a direita e uma para a esquerda), aparentemente não tinha pontos de ultrapassagem.


Análise da prova (ponto de vista do piloto)

Na bateria de testes pré-etapa, me concentrei em conhecer o traçado e os limites do carro em cada trecho, além de simular disputas de posição (isto, com o auxílio do Jorge Amorim). Ao final do treino, a pista me surpreendeu positivamente, pois se mostrou bastante técnica e competitiva; além de possuir carros bastante nivelados (em termos de desempenho).

Acompanhando as duas primeiras baterias pude perceber o que já era esperado por todos: era bem difícil ultrapassar sem que houvesse toques; e a maioria das tentativas ocorriam na tomada para a curva 1.


Devido à este fato, eu precisava largar bem para "garantir" uma corrida sem maiores problemas; o que não aconteceu. Fui atacado ainda na largada pelo Igor Gomes, o que favoreceu o Herbert, que nos ultrapassou ainda na curva 1, por fora.

Na segunda volta da prova, me sentia mais rápido que o Igor e, aproveitando a oportunidade na parte interna da curva 1 freei mais tarde e consegui encainxar meu carro entre o dele e os pneus, conseguindo a ultrapassagem.

Foi então que a minha corrida quase acabou. O diretor de prova entendeu que a minha ultrapassagem foi irregular por ocasionar uma rodada do Igor; obrigado a devolver a posição para ele (que já havia sido ultrapassado pelo Bruno Alter), acabei caindo para a quinta colocação e me distanciando do pelotão.

Sofri a ultrapassagem do Quelder Avance, caindo asism para a última colocação. Devido à intensa briga entre os ponteiros, consegui me reaproximar e ultrapassar o Igor Gomes definitivamente. Por algumas voltas eu alternava posições com o Bruno Alter e com Quelder Avance, mas não consegui me sustentar na terceira colocação.

Com Herbert segurando todos os participantes (à exceção do Lélio, que disparou na liderança), a briga foi intensa (bonita, e acima de tudo bastante justa) até o final, tanto que terminamos todos praticamente "colados". 

E, no final de tudo valeu muito a pena me deslocar 180Km para correr...

Um comentário:

  1. "Eu precisava largar bem para "garantir" uma corrida sem maiores problemas; o que não aconteceu. Fui atacado ainda na largada pelo Igor Gomes, o que favoreceu o Herbert, que nos ultrapassou ainda na curva 1, por fora."

    Já eu precisava que o Igor largasse bem para que eu pudesse tentar atacar vocês dois na largada... rsrs

    ResponderExcluir