5 de fevereiro de 2012

Professor



Não, ele não foi só o "adversário de Senna". Apesar de esta ser sua mais conhecida alcunha por aqui, o francês foi mais do que isso. Bem mais. Logo na sua estréia pela Renault, desbancou o veloz compatriota René Arnoux. E já na McLaren, em 1984, disputou o título com o companheiro-mito Niki Lauda até o fim. Feitos consideráveis.

Então veio 1988, um carro perfeito e Ayrton Senna.

Prost já era bi-campeão do mundo; e Senna nunca escondeu que bater o francês era sua meta. Costumo dizer que parte de sua genialidade só aflorou por ter como companheiro de equipe o melhor piloto do grid.

Dizem que quanto maior o prêmio, melhor se joga. E era exatamente isso. Para ambos.

3 comentários:

  1. Ele não era muito bom no corpo a corpo, mas seu estilo era tão veloz que quando fugia na frente ninguém o pegava.

    ResponderExcluir
  2. Excelente piloto em uma grande época.

    Abraços.

    ResponderExcluir
  3. Jaime,

    Prost era um baita piloto. Valorizou e muito, as conquistas de Senna.


    abs

    ResponderExcluir