29 de maio de 2012

Mônaco

(É, a corrida foi sem sal) O fim de semana de Mônaco foi menos (bem menos) do que eu esperava. Pra início de conversa, o melhor piloto da atualidade, Maldonado, parece ter sentido um pouco da pressão de ganhar um gepê. Chegou com muita atitude e acabou no muro, ainda nos treinos livres. Foi punido (por se enroscar com Perez, acho), largou lá atrás e lá atrás terminou. As ruas do principado não perdoaram o jovem sonhador venezuelano...

Já o melhor pilotos dos últimos tempos, Schumacher, surpreendeu. Quando ninguém mais acreditava no velho senhor alemão, ele foi lá e tirou o doce da boca de todas as crianças. Cravou uma pole em condições normais, em Mônaco. Mesmo largando em quinto (por conta da punição, na minha opinião injusta, diga-se), tirou um enorme peso das costas... E um adendo: há tempos eu não me arrepiava durante a classificação. Schumacher conseguiu isso. Estranho, muito estranho.


Bom, a pole caiu no colo de Webber, que não fez mais do que a obrigação: venceu de ponta a ponta. Atrás dele, o trenzinho tinha Rosberg, Alonso, Vettel, Lewis e Massa. Este último até que fez boa corrida, mas pode ter acordado tarde demais pra vida...


E isso foi tudo. Seis corridas com seis vencedores diferentes. Achei até que Räikkönen iria levar troféu pra casa, quem sabe até vencer. Mas, se não conseguiu nada durante a corrida, ao menos na eleição de capacetes mais bonitos de todos os tempos ele ganhou com sobra. Empatado em primeiro com James Hunt.

Que venha Montreal! Pista que gosto muito por sinal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário