31 de maio de 2012

Quase

Takuma Sato (sim, o mesmo porra louca que esteve na F1 de 2002 a 2008) foi o grande destaque das 500 Milhas de Indianápolis, realizada no último fim de semana.

Faltando duas voltas para o final, ultrapassou Scott Dixon (de uma maneira que deixou claro: vai dar merda!) e se empolgou. Não era para menos, mais uma ultrapassagem kamikaze bem sucedida e ele seria o primeiro japonês a vencer a prova. Viraria ídolo do seu país, ganharia feriado em sua homenagem, beberia o leite dos campeões, a porra toda...

Enfim. Abrindo a última volta, no mesmo ponto da pista, tentou passar o então líder Dario Franchitti. Não teve a mesma sorte. Acabou no muro e deu a vitória de bandeja para o escocês.

Uma pena. Desde o abandono prematuro do Alesi eu torcia justamente para o Sato... Que claro, não deve se envergonhar. Estava rápido, confiante, e tentou. Quase conseguiu. Só que o "quase" de Indianápolis quase sempre é sinônimo de muro.

Pra quem não viu, o vídeo da proeza está aí embaixo.

Um comentário:

  1. Ele foi afoito, mas... Vencer ou bater tentando, eis um belo lema que ele segue.

    ResponderExcluir