24 de junho de 2012

Alonso! Com o pau na mão

Liguei a tevê imaginando ver uma corrida chata. Me fodi. Foi a melhor desse ano, na minha opinião. E um dos pódios mais legais que eu já vi.

Alonso venceu com uma atuação de gala. É, sem dúvida o melhor do grid, esse cara. Räikkönen e Schumacher completaram o pódio. Este último, depois de seis anos de jejum. Foram dez títulos reunidos no pódio, aliás. Recorde interplanetário desde que o mundo é mundo. 

Na largada Vettel sobrou. Soberano, com umas algumas voltas, o alemãozinho já estava anos luz à frente de todo mundo. Hamilton vinha em segundo, bem mais lento. Bem que tentou, mas não segurou Grosjean, que fez bela ultrapassagem.

Após a primeira janela de pits, 
Alonso seguiria com o show. Voltou em um quarto lugar "virtual", à frente de Räikkönen, e atrás de uma fila de carros com pneus desgastados, que parariam em alguma volta, quem sabe. Alonsito, de pau duro, passou todo mundo sem tirar de dentro. Com uma precisão que chegava a dar raiva. Foi o ponto alto da corrida.

Mais atrás,
Kobayashi também tentava avançar. Só que no meio do caminho tinha uma tal de "reta-curva" (asneira inventada e repetida por Galvão Bueno em todas as transmissões), e Bruno Senna. O sobrinho espremeu o mito no muro sem dó e foi punido pelos comissários. Justíssimo.

Vergne
(leia-se "verme") em uma tentativa de homicídio pra cima de Kovalainen provocou um Safety Car inesperado. Enquanto Vettel xingava todos os palavrões do mundo embaixo do capacete, todos paravam nos boxes pra tentar o bote em cima do alemãozinho. Todos, menos Hamilton, que foi literalmente fodido pelos mecânicos da McLaren, mais uma vez.

Na relargada,
Alonso (ainda de pau duro) passou Grosjean (no braço, lindamente) e viu Vettel quebrar (vai ter sorte assim na puta que o pariu!). Com isso, administrou a vitória que lhe caía no colo. Quando Grosjean tentou alguma coisa, a santa protetora dos pilotos asturianos apareceu novamente. Lá estava a Lotus do francês vagando pela pista. Abandono. Problema hidráulico.
Hamilton se segurava como podia na segunda posição. Não tinha carro. Uma bobeada e  Räikkönen passou. Maldonado passaria também, lindamente, mas Hamilton arriscou demais na defesa e os dois se tocaram. Deu merda. O inglesinho acabou com a corrida do venezuelano e ainda estampou o muro. Covardia! Merecia uma punição para o resto do ano.
Schumacher agradeceu. O terceiro posto caiu no seu colo.

Um último comentário.
Massa, perdido lá atrás, foi acertado por Kobayashi (o exterminador de brasileiros, segundo a Rede Globo) em algum momento e terminou atrás de todo mundo. Parece ter sido culpa do japa mesmo. Não sei, não vi detalhes, e pouco importa. O brasileiro parece estar sempre na hora errada e no lugar errado. Não lhe falta só sorte. Falta uma porrada de coisas. Até Petrov passou por ele. Acho que já deu.

O campeonato segue aberto. Mas, minha torcida está definida: tri do
Fodón e uma vitória de Räikkönen.  O que vier além disso é lucro.

Um comentário:

  1. Até eu acabei me rendendo. Vou torcer pra que ganhe o título este ano.

    ResponderExcluir