4 de junho de 2012

Stewart


GP da Alemanha de 1968.

Nürburgring.

Segundo Jackie Stewart, foi a vitória mais difícil de sua carreira.

Naquele 4 de Agosto, os 22 quilômetros do circuito alemão estavam envoltos em uma névoa terrível, além de uma chuva constante. 

E Stewart não era exatamente do tipo que corria riscos...

Qualquer erro poderia ser fatal.

E se o Inferno Verde já era perigoso por si só, imagine com rios (!) atravessando a pista?

Cogitou-se inclusive a possibilidade de a corrida não acontecer. Mas o que fazer com os pobres diabos que foram lá assistir?

Stewart largou em sexto, mas precisou apenas de 1 volta para assumir a liderança...

E sumir!

"Era o único lugar seguro para se estar, sem o spray dos carros à frente"

Pilotou no limite entre a genialidade e a insanidade.

Estava irreconhecível.

"Quando passei Graham, eu apenas pilotei o mais rápido que pude, pois era impossível ver os espelhos retrovisores"

Na segunda volta, a vantagem já era de 34 segundos!

Faltando 3 voltas para o final, um susto:

O Matra aquaplanou e Jackie deixou o motor morrer. O carro passou a deslizar sem controle em direção a um infeliz fiscal de pista mal posicionado...

"Eu sabia que ia bater nele"

Foram aquelas frações de segundo intermináveis.

De repente, as rodas recuperaram a aderência e Stewart evitou o choque.

Hill cometeu o mesmo erro (no mesmo ponto) pouco depois.

[...]

As 14 voltas programadas para a corrida foram completadas em sua totalidade.

No final, depois de cruzar a linha de chegada, Jackie Stewart teve de esperar longos 4 minutos por Graham Hill e sua Lotus.

Uma das maiores apresentações que a F1 já viu.


2 comentários:

  1. Maravilha... E olhando a foto a gente pensa: Jump!

    ResponderExcluir
  2. Com certeza, Stewart foi genial, o cara era bom demais...


    abs

    ResponderExcluir