30 de julho de 2012

Procissão húngara

E a F1 passou pela Hungria. Quem viu, disse que foi a corrida mais sem graça do ano. Eu não vi. Assisti o vetê pela tevê (gosto dessa combinação). Errei quase todos os pitacos do post aí embaixo. 

Tiveram alguns lances, poucos, que valem a pena comentar. Não sei direito por onde começar, e o texto deve ficar meio confuso. Quando temos de comentar algo que não vimos na íntegra sai assim, uma merda. Enfim, vamos lá.



Hamilton 
venceu, com certa facilidade, até. De vez em quando, o inglesinho acerta. Em segundo chegou Räikkönen, que repito, vêm fazendo bom campeonato. Como diria um amigo meu, "de xis em xis, a galinha enche o ípsilon". Nunca entendi. Mas, de qualquer forma, o finlandês vêm enchendo o dele. É o quinto no campeonato. 

Grosjean (que não fez cagada na largada e nem durante a corrida, só pra me contrariar) completou o pódio. Fez boa corrida o francês. Ainda lhe falta quilometragem, mas vem mostrando que é muito superior ao piloto que esteve na Renault em 2009. Alonso chegou em quinto, comemorando. Com Webber cruzando a linha em oitavo, era o que o espanhol precisava fazer; somar pontos. Vai ser campeão mesmo.

Sobre os brasileiros, disparidade.

Massa seguiu sua cartilha direitinho. Largada ruim, corrida apagada e desculpa esfarrapada no final da prova. Está na hora de pedir pra cagar e sair. Já deu. 

Bruno Senna honrou a pátria, e (pra mim) foi um dos destaques da corrida. Na largada, chegou a estar lado a lado com Alonso, brigando pela sexta posição. Depois fez uma bela ultrapassagem em Pérez, por fora. E, quando a McLaren resolveu foder com a corrida do Button, lá estava Bruno pra segurar o inglês. Fechou o dia com um respeitável sétimo lugar. Precisa de mais corridas assim.

Tirando isso, nada de relevante. Só Schumacher, que deve ter cruzado com algum gato preto em Budapeste e pagou caro por isso. Ficou parado na largada, deixou o motor morrer e largou dos boxes. Depois,teve de trocar um pneu furado ainda na primeira volta e abandonou no final. Parece coisa do tio Bernie. Sei lá.

Pra fechar, um parágrafo para a FIA, que mais uma vez se prestou ao papelão de punir uma bela ultrapassagem. Dessa vez foi a de Maldonado sobre Di Resta. Tudo bem que o venezuelano seja meio despirocado, mas, a manobra pra mim foi legal. Pegou o vácuo, tirou de lado, chegou para tangenciar a curva lado a lado... Tudo certinho. No final se tocaram, mas cada um seguiu seu caminho. Incidente de corrida, porra!

Nenhum comentário:

Postar um comentário