17 de setembro de 2012

Rest in Peace

Este fim de semana tivemos etapa do carioca de marcas no autódromo de Jacarepaguá. Sim! Para quem não sabe, ainda queimamos borracha por aqui. Ainda.

Mas isso é o que menos importa. O panorama  é de destruição. As arquibancadas descobertas já não existem mais. O setor Norte, desativado desde 2007, também não. O estacionamento interno foi reduzido a algumas vagas apenas. Caminhões e retro-escavadeiras podem ser vistos pra todo lado...

E infelizmente não há mais o que fazer. Jacarepaguá, que antes respirava por aparelhos, agora morre definitivamente. E não adianta ficarmos indignados, putos, reclamando, protestando... Nada vai mudar. As eleições estão aí, vão  passar, e nada de diferente vai acontecer. Repito: infelizmente.

Isso tudo por um motivo simples: grana. Há muita grana envolvida. Muita! O prefeito Eduardo Paes e suas maracutaias com empreiteiras "amigas" são os principais responsáveis por essa merda toda. Mas só os idiotas acreditam que eles são os únicos culpados. A FAERJ também tem sua parcela (de culpa e de grana), assim como a CBA, a Rede Globo a Vicar... Essa corja toda. Me arrisco a dizer que sobra até mesmo para o publico.

Ao invés de pagar R$20 para assistir a um dia inteiro de corridas de carro, o sujeito prefere encher o rabo de cerveja à R$1 em alguma boate da vida. Depois, ainda pega o seu carro (ou, o do papai), bate, mata alguém e espalha que o automobilismo é perigoso. Que é uma das causas dos acidentes de trânsito...

E isso já entrou na cabeça da sociedade. Para a população em geral, um cara que se diz "piloto", mesmo o sendo, é o cara que faz merda no trânsito. O que costura, o que bate, o que mata e fica impune. Tirar isso da cabeça deles é uma merda...

Esse é um dos motivos pelo qual ninguém liga mais para automobilismo aqui no Rio.

O outro é a falta de kartódromos. A base. As poucas pistas indoor que existem, e que deveriam atrair o público para o esporte (mostrando também algum respeito pelos pilotos), simplesmente cagam. Mas, não os condeno. Uma vez que a FAERJ, que deveria fornecer algum suporte, também caga para eles e, consequentemente, para nós.

O publico do autódromo se resume aos Track Days. Eventos onde quem tem carro (e grana, sempre) pra torrar se diverte. O resto, só olha. O Estadual de Turismo se resume aos pilotos e os que vivem de automobilismo. Mecânicos, chefes de equipe, fiscais, e uma meia  dúzia de gatos pingados que ainda curtem o  negócio (me incluo aí). Só.

Mas, enfim...

Voltando a etapa (se é que alguém leu até aqui). Na primeira bateria, João Scalabrin venceu de ponta a ponta, seguido por Celso Vianna, Paulo Coelho (não o mago), Marcelo Costa e Rodrigo de Paoli.

A segunda bateria foi marcada pela desclassificação do vencedor e atual líder do campeonato, João Scalabrin, após um toque com o Corsa #81 de Marcelo Costa. Uma puta sacanagem, pra falar a verdade. Mas, o piloto do carro #30 entrou com recurso, e a decisão está nas mãos do tribunal desportivo. Vamos ver.

Para quem quiser tirar conclusões, o vídeo com a câmera On Board do Scalabrin está aí embaixo, e o tal "incidente" aparece aos 1m e 40s.



Para finalizar, em caráter extra-oficial, a vitória da segunda etapa ficou com o meu amigo Rafael Franco, seguido de Rodrigo de Paoli, Gustavo Mascarenhas, Willians Suhr e Paulo Lanfredi.

Nenhum comentário:

Postar um comentário