6 de março de 2013

Chávez

(Al carajo ianques de mierda) Hugo Chávez morreu hoje. Ou, declararam hoje que estava morto. Ou assassinaram. Ou ele se suicidou, ou... Ah, pouco importa. Importa o significado da figura de Hugo Chávez.

"Ah que figura porra nenhuma! Menos um ditador, menos um filho da puta no mundo" dirão alguns.

Ditador?! Tá, vamos a um breve histórico.

Em 1992 Chávez tentou sim chegar ao poder através de um golpe de estado (vale lembrar que isso era somente parte de uma revolta popular do país, e não um golpe isolado, no meio do nada). Fracassou, foi preso (cumpriu tida a pena!) e quando saiu da prisão fundou seu próprio partido, em 1997. Disputou as eleições no ano seguinte, e foi eleito pelo povo com 56% dos votos.

Ao tomar posse, realizou um referendo para a convocação de uma nova Assembléia Constituinte. O referendo foi aprovado por 70% dos venezuelanos. Nas eleições para a Constituinte os apoiadores de Chávez conquistaram 120 dos 131 lugares. A nova constituição foi redigida e, após submetida a plebiscito, é aprovada por 71,21% dos eleitores.

Por determinação da nova constituição, houve uma nova eleição presidencial e legislativa, nas quais Chávez foi reeleito com 59,7% dos votos.

Em 2002 sofreu um golpe de estado - que depois foi confirmado ter sido financiado pelos Estados Unidos - que fracassou. Foi deposto por apenas 48h. Sendo reconduzido ao poder pelo povo e por parte da oposição.

Foi novamente reeleito em 2006, com 62.9% dos votos. Vitória essa que - assim como o plebiscito de 2002 - foi reconhecida como legítima pelos Estados Unidos, após suspeitas de fraude.


Ou seja, Chávez foi eleito, reeleito e reeleito de novo. O povo escolheu! Portanto, não me venham encher os colhões com essa história de ditadura.

Governou para o povo, para a Venezuela. E independente de ter sido bom ou ruim, de ter errado ou acertado, de ter sido o mocinho ou o bandido, Chávez fugiu ao óbvio. Arriscou. Fez diferente. Peitou quem ninguém costuma peitar e sobreviveu.

Só isso já é algo louvável, e digno de entrar para a história como um dos maiores líderes latino-americanos.

E assim será.

2 comentários:

  1. Estuve en el encuentro latinoamericano de Mar del Plata en 2005, y desde la tribuna del estadio vi y escuché a Chavez pronunciar su famosa frase: "ALCA, ALCA ¡al... carajo!".
    Mi solidaridad con el pueblo venezolano; se fue Chavez, se fue un grande.
    Abrazos!
    http://juanhracingteam.blogspot.com.ar/

    ResponderExcluir
  2. Boueri,

    Sinceramente, Chaves assim como muitos governantes fez coisas boas para seu povo, no entanto, também deixou a desejar.

    Não o vejo como o diabo que pintam, mas também não era santo, era um ser humano assim como nós, sujeito a erros e acertos.

    abs

    ResponderExcluir