26 de maio de 2013

Checo

Falemos então do grande protagonista desse gepê de Mônaco. 

Sim, ele mesmo! Sério Pérez.



Antes de qualquer coisa, queria deixar bem claro que eu sempre fui um crítico do mexicano, desde que assinou com a McLaren e passou a fazer corridas bem abaixo da expectativa.

Até que veio o gepê do Bahrein.

Lá, Pérez travou o primeiro duelo direto com seu companheiro de equipe Button. E fez bonito. Mostrou agressividade, sem fazer nenhuma cagada. Tocou roda, passou onde dava, onde não dava, tomou passão, devolveu... E chegou na frente do cara, que ganha não sei quantos milhões a mais, tem um título mundial e uma namorada mais bonita.

Enfim, fez tudo o que EU espero de um piloto de Fórmula 1, e eu falei sobre isso aqui.

Hoje não foi diferente.

Aprontou uma manobra lindíssima (e totalmente limpa) pra cima de Button - que coitado, já não sabe mais o que reclamar no rádio - e quis mais. Tentou do mesmo jeito pra cima de Alonso, que sim, cortou a chicane para não bater. Como também cortou a chicane porque deixou para frear lá na puta que pariu, e mesmo se Pérez não estivesse ali do lado, não conseguiria fazer a curva.

Não vou nunca crucificar um piloto por tentar um a ultrapassagem!

"- Ah Jaime, mas em Mônaco tem de se ter cuidado, porque não dá pra passar". Sim, concordo! E é justamente por este motivo que exalto tanto as tentativas do mexicano.

"- Ah Jaime, mas ele fodeu com a corrida do Räikkonën". Sim, fodeu. Por conta das duas ultrapassagens bem sucedidas no mesmo ponto, exagerou na confiança, tentou quando (que é diferente de onde) não dava, calculou mal o espaço e acabou dando merda sim. Erros acontecem, ainda mais em corridas de carro.


Mas, depois desse texto - que saiu mais longo do que eu queria - uma coisa é certa: em tempos de pneus esfarelantes, asas móveis injustas e carros feitos de casca de ovo - de tão frágeis - não é só a categoria que precisa de uma chacoalhada. O público também precisa de menos mimimi.

Na verdade, eu adoraria ver pilotos menos mecânicos, e que tenham atitudes meio despirocadas de vez em quando. Afinal, a Fórmula 1 sempre foi isso...

8 comentários:

  1. Sei lá Jaime. Erros de fato acontecem, ainda mais ali em Mônaco, mas porque os habilidosos quase nunca erram por ali?
    Talvez seja raiva momentânea do Perez, mas ele tá muito cara-de-pau...

    Vejamos o que acontece, não é?
    Abs!

    ResponderExcluir
  2. Até entendo você e os outros críticos, Manu. Mas como eu disse aí em cima, jamais vou crucificar um piloto por tentar uma ultrapassagem. Por mais arrojada que seja, e por mais que possa "ter dado merda", como deu...

    Lembrando que os "habilidosos" de hoje são os Pérez de antigamente. Acho que próprio Button (só pra citar UM dos exemplos) esquece dos seus tempos de destruidor na Benetton! E, repetindo, ele é só um exemplo...

    A minha opinião é simples: deixem os caras resolverem na pista! Chega desse mimimi de punições e puxões de orelha!

    ResponderExcluir
  3. Sim, te entendo.
    Não sou favorável ao mimimi tbm não. Na realidade, Kimi mesmo nem deve mais estar se remoendo. No fim, não resolve mesmo não é?

    Abs!

    ResponderExcluir
  4. Sou uma das que reclamou e continuarei reclamando. Agressividade tem limite. Os pilotos devem ter, claro, mas perder o limite eu não acho legal. E Kimi mesmo quando era jovem, nunca foi de atacar piloto quando sabia que não teria espaço para se defender (fosse ele ou fosse o piloto da frente). É um dos pilotos mais justos do grid, lembro inclusive de como Hamilton, Alonso e Kubica sempre falaram isto dele. Em Mônaco é bacana ser agressivo para ver se a aposta da ultrapassagem dar certo (para virar herói) ou errado (para ser criticado). Mas ali, qualquer erro coloca os dois pilotos em risco e Pérez estragou com a corrida de Kimi. Não acho certo, e nunca vou achar. Independente de quão agressivo e bacana tenha sido.
    Mas é minha opinião, claro. Talvez seja choro de perdedora, mas fazer o quê? Pérez pode ser talentoso, mas é tão pagante quando Grosjean.

    bjs, Ludy

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É complicado mesmo, Ludy, esse julgamento.

      Concordo com você que o Räikkonën seja um dos pilotos mais leais do grid atual.

      Mas, na verdade qualquer ultrapassagem coloca os pilotos envolvidos em risco, sempre. É só lembrar do mesmo Räikkonën atropelando o (acho que) Sutil em 2008... EXATAMENTE do mesmo jeito que o Grosjean fez no Ricciardo.

      Foi um erro. Mas, aconteceu... e, se não acontecesse, corridas de carro não seriam tão legais como são.

      Pra mim, o caso do Pérez foi uma mera tentativa de ultrapassagem que deu errado. Não acho que se deva crucificar o garoto por isso.

      Excluir
  5. Eu me lembro bem do incidente de 2008 de Kimi e Sutil. Sim, Kimi errou lá.

    Só que o erro de Pérez foi tentar passar por onde não dava, já que obviamente ele sabia que o piloto da frente manteria a linha. Por isto digo que a agressividade dele não foi inteligente.

    Não deveria se crucificar se ele já não tivesse tentado outras vezes, já em outros GPs. Ele precisa dosar a agressividade. Mas de qualquer forma, o troco dele ainda virá na pista. Assim são as corridas.

    abs, Ludy

    ResponderExcluir
  6. Vejo que o Kimi e o Perez tiveram culpas ...O Perez não foi prudente e o Kimi viu que ia perder a posição e fechou a porta tarde de mais.

    ResponderExcluir
  7. Não vi arrojo nenhum em nenhuma das ultrapassagens.. o Button não defendeu pq não queria ver os dois carros da equipe fora da corrida (coisa que a besta do Perez nunca pensou). O Alonso ta disputando campeonato, tu acha mesmo que vai disputar curva com uma besta quadrada e arriscar ficar longe dos ponteiros nessa altura da competição? O unico que resolveu se defender foi o Kimi e deu no que deu.

    É muito fácil arriscar tudo quando não se tem nada a perder. Não confunda arrojo com burrice. Deixo aqui a frase do Kimi depois da corrida:

    “Pilotar com risco é aceitável, porém é mais fácil acabar guiando de maneira tola. E essa não é a primeira vez que ele faz isso. Não sei se já pararam para conversar com ele. Talvez eles [da McLaren] deveriam lhe dar um soco para ver se assim ele entende”

    ResponderExcluir