26 de maio de 2013

Monagescas [2]

(E ganhou um capacete comum) Ao contrário do que amuitos andam falando por aí, eu achei - e já tinha adiantado isso ontem - a corrida de Mônaco bastante animada. Teve ultrapassagens (!), porradas e bandeira vermelha, até.

Aí embaixo, um resumão do que eu vi.

Na largada, não fosse pelo enrosco de Van Der Garde e Maldonado, não houve nenhum grande incidente. Os mercêdicos mantiveram as duas primeiras posições e Hamilton era bastante pressionado por Vettel nas primeiras voltas.


E aqui, o primeiro parêntese deste post. Que terá muitos, aliás.

Hamilton não estava "defendendo" Rosberg, com foi dito inúmeras vezes na transmissão da Globo. Estava, antes de qualquer coisa, defendendo a sua própria posição na corrida, pombas.

Enfim, Vettel não passou. E tratou de sossegar até, por conta do super-aquecimento do motor e o alto desgaste de pneus que uma "perseguição" pode causar. A que ponto a F1 chegou, gente...

A corrida esfriou, e a procissão se seguiu - com Rosberg, Hamilton, Vettel, Webber, Räikkonën, Alonso, Button e Pérez - até a volta 23. Na volta seguinte, Maldonado - que já tinha se enrosacado com uma Catheram no início - acertou uma Marussia e quebrou o bico, de novo. Mas a corrida permanecia só com um abandono: de Pic(a), com o motor em chamas.

Veio a primeira janela de pits com Webber, na volta 26. Na volta seguinte entraram Räikkonën, Button e Massa. E aí deu merda.

Na volta 30, Massa acertou o muro exatamente do mesmo jeito que havia feito no terceiro treino livre de sábado. Freou, virou as rodas, passou reto e acertou o guard-rail, indo parar lá na casa do caralho. Uma baita porrada até. 

Aqui, outro parêntese.

Acho que a Ferrari tem sim, de investigar o que aconteceu com o brasileiro. Porque não é possível que com mais 21 carros fazendo exatamente a mesma coisa, só ele não tenha se adaptado ao bump antes de freada para a Saint Dèvote. Que ele não é exatamente bom em Mônaco não é novidade, mas tem de se ver o que aconteceu...

Voltando.

Safety Car na pista e mercêdicos nos boxes. Rosberg conseguiu voltar na frente, mas Lewis se fodeu. Perdeu as posições para as duas Red Bull e não conseguiu recuperar depois na pista. Na relargada, até tentou uma baita manobra pra cima de Webber - na Rascasse - mas ficou no quase.

Aí Sérgio Pérez resolveu passar Button lindamente na saída do túnel. Fez tudo certo: saiu colado, tirou de lado, travou rodas e passou. Bonito pacas! Algumas voltas depois fez exatamente o mesmo pra cima de Alonso. Sacana, o espanhol cortou a chicane e permaneceu na frente.

Antes que pudesse o mclariano pudesse tentar de novo, veio a bandeira vermelha.

Maldonado foi fechado por Max Chilton na tabacaria (!) e levantou vôo, indo parar na barreira de pneus. Destruiu o carro, a barreira, os tabacos e obstruiu a pista. Lambança do marussiano, que na minha humilde opinião deveria ser punido e rebaixado a mecânico na equipe nanica.



Na relargada, Alonso foi obrigado a ceder a posição para Pérez (justo, diga-se), que passou a atazanar a vida do sossegado Räikkonën. Mais atrás, Sutil (em belíssima corrida) deu dois passões em duas voltas na Lowe's. Deixou pra trás Button e Alonso e se juntou ao porra louca Pérez.

Antes de dar merda - e deu, depois - foi a vez de Grosjean aprontar das suas e atropelar Ricciardo (uau!) na saída do túnel. 

Outro Safety Car.

Na relargada, Pérez ainda estava com o pau na mão e partiu para cima de Räikkonën. Confiante (e desmedido até), tentou a mesma manobra em que teve sucesso nas duas vezes anteriores. Mas o finlandês já estava um tanto puto e não aliviou. Imprensou o assanhado mexicano na parede.

Räikkonnën teve de parar nos boxes por causa de um pneu furado, e Pérez acabou perdendo um pedaço da asa e abandonou pouco depois com algum vazamento no carro. Infelizmente.

Depois disso, Alonso ainda tomou um passão de Button - na Rascasse, acho - antes da corrida acabar.

No final, Rosberg venceu, seguido de Vettel, Webber, Hamilton, Sutil, vaga-lume Button, Alonso, Vergne, Di Resta (que largou em 17º, diga-se) e Räikkonën (que passou 7 carros nas seis voltas finais, e terminou pela 23ª vez nos pontos. O recorde é de Schumacher, com 24).

Depois eu volto pra falar do Pérez que sim, merece um post à parte.

Nenhum comentário:

Postar um comentário