14 de junho de 2013

A gota d'água

Eu tentei ao máximo não comentar mais a fundo sobre essa onda de protestos por causa do aumento no preço das passagens. Primeiro porque não ando de ônibus há anos. E segundo, porque não estive no movimento nem do Rio e nem de Sampa, e tampouco li o que os jornais andam publicando sobre o assunto.

Mas ouvir o que eu ouvi do governador Sérgio Cabral hoje pela manhã na tevê é de foder com a vida de qualquer brasileiro, esteja ele envolvido ou não nos protestos. 

Segundo esse filho da puta, as manifestações organizadas pelas redes sociais tiveram um "ar político" e não representam uma "vontade espontânea da população". Palavras dele. Podem procurar.

Para quem não lembra, esse mesmo governador convocou a população carioca para ir às ruas protestar contra a redistribuição dos Royalties do Petróleo. Um protesto político, portanto. Que não teve NENHUM registro de que a polícia tenha baixado a porrada em quem lá estava.

Estranho, não?

Já falei aqui que todo e qualquer tipo de reivindicação é valida. E isso é garantido pela Constituição, até. Mas na minha opinião, os atos de vandalismo, os espíritos de porco que saem quebrando pontos de ônibus, lixeiras, vidraças e tudo o mais tem de ser reprimidos com porrada mesmo. Ponto.

Acontece que essas ações são atos isolados. E a Polícia tem - ou deveria ter, por obrigação do ofício - condições de identificar quem são esses baderneiros e distingui-los de quem está protestando pacificamente. Deveria e DEVE ter.

Mas não.

Isso serve para atiçar os ânimos dos preparados e treinados policiais militares. Que baixam a porrada e  - covardemente - distribuem tiros de borracha, bombas de gás lacrimogêneo, cacetadas e o que mais tiver à disposição sem nem mesmo saber em quem.



A ordem que todos recebem é a de acabar com a manifestação. É calar quem têm o direito de protestar nas ruas garantido por lei. Repetindo: a ordem que todos RECEBEM.

Mas, a culpa não é só dos policiais filhos da puta que recebem ordens de filhos da puta para executar ações filhas da puta. A culpa não é só do filho da puta que quebra pontos de ônibus - e tem sim de ser responsabilizado por isso - a culpa não é só do governador filho da puta que está por trás da ação da PM, a culpa não é do secretário de segurança, outro filho da puta que não treina seus profissionais, e a culpa não é só da imprensa filha da puta que só mostra o que quer...

A culpa é sua!

Uma parcela de culpa é sim, sua! Que vibra com a encenação desses mesmos policiais nos Tropas de Elite da vida. Se você não se recorda, as mesmas ações truculentas - e muitas vezes desmedidas - da Polícia são mostradas nas telonas, e exaltadas pelos mesmos que apanharam nessa semana na Avenida Paulista, em Sampa, e na Avenida Presidente Vargas, no Rio.

Mas, para não perder o foco, vamos voltar.

Essas são as cidades que receberão a Copa do Mundo já no ano que vem. Essa é a cidade - no caso específico do Rio - que vai sediar as Olimpíadas daqui há três anos.

E esses protestos são um retrato de governos (na esfera municipal, estadual e federal, diga-se) marcados por mentiras, desvios de verba, corrupção (e impunidade, que andam de mãos dadas por aqui), favorecimento de empreiteiros e empresas de ônibus, obras superfaturadas, e uma péssima qualidade em TUDO a que o cidadão tem por direito constitucionalmente...

Não é uma questão de lutar por meros 0,20 centavos.

Os 0,20 centavos foram só a gota d'água disso tudo! Porque quem levanta cedo todos os dias para tomar um ônibus, e paga R$ 3,00 para aguentar uma viagem muitas vezes superior a uma hora de duração - em pé - vai continuar colocando o seu nariz de palhaço, e tendo que fazer o mesmo pagando os R$ 0,20 a mais.

E digo mais. Não haveria problema algum em se pagar R$ 4, ou até mais. Desde que fosse prestado um serviço de qualidade. Desde que todo o resto que deveria ser minimamente priorizado pelos governantes não fosse trocado por arenas de futebol bonitas, cintilantes e superfaturadas, além de melhorias no trânsito e no transporte para inglês ver.

Enfim, já compraram os narizes de vocês?!


Para quem quiser, aqui tem um texto ótimo - e bem mais abrangente até - sobre o caso específico do que aconteceu em São Paulo.

4 comentários:

  1. O que está aumentando o calor da manifestação é a violência praticada contra os manifestantes. Os movimentos sociais sempre foram reprimidos com violência pela polícia brasileira. O combustível desse protesto é a violência que o jovem da periferia vive cotidianamente. E, concordo, não é só os R$0,20.
    Tá na hora de defender ainda mais os nossos direitos!

    ResponderExcluir
  2. Muito bom o seu artigo, concordo com tudo, a única observação que se poderia fazer, seria quanto ao final, quando você diz que tanto faz R$3,00 ou R$ 4,00,como o povão que utiliza o ônibus geralmente ganha salário mínimo ou pouco mais, faz uma diferença enorme, muitos pegam um total de 4 ou mais ônibus por dia, e gastar mais R$ 120,00 por mês pode significar a falta de comida na mesa.

    ResponderExcluir
  3. A manifestação não é do povão pois esses recebem vale transporte. A manifestação é da classe média que não anda de ônibus. Que banca todos os benefícios populistas do governo federal. Como vc bem disse: não é pelos R$ 0,20. É pelo cansaço de ser palhaço.

    ResponderExcluir
  4. O Cabral pode ate ter se expressado mal... mas ele ta certissimo, essas manifestaçoes estao sim sendo orquestradas por grupos de oposição, q nao estão nem aí para o valor da passagem... Eles querem é tocar o terror, quebrar e atear fogo em tudo mesmo, alem de fechar o transito na hora do rush... tudo isso afim de provocar o estado... Isso causam aquelas cenas lamentaveis de confronto de manifestantes com a policia... O povo se machuca e os oposicionistas ficam felizes por desestabilizar o governo.

    ResponderExcluir