2 de junho de 2013

Canádicas virtuais

(Descobri as fotos!) Como adiantei aqui esses dias, ontem foi dia de corrida no circuito virtual de Montreal, no Canadá. Como de praxe, escrevi um pouquinho sobre como foi a minha corrida.

Na classificação, não consegui repetir o bom tempo que consegui nos treinos livres. E o horroroso 1:38.183 me rendeu um modesto 19º lugar no grid (dos 25 que largaram). Ou seja, me fodi. E as chances de me me enroscar na largada e me foder de novo eram enormes.

Não aconteceu.

Pra me acostumar com o controle de largada dos carros da F3, treinei um milhão de vezes o procedimento de largada. E deu certo. Se não ganhei posições, ao menos me posicionei bem para as curvas 1 e 2 e fugi de confusões. No video aí embaixo eu apareço passando o meu companheiro, por fora, ao 13m35s.

E aí foi só me concentrar no ritmo de corrida, poupando os pneus traseiros esfarelantes. Quando vi, estava brigando pela 9ª posição (!) com os dourados Helber Santos e Fabio Neris, ambos da equipe Sinister. Perdi a posição para ambos, mas foi bonito pacas o passa e repassa. Apareceu na transmissão aí embaixo aos 22m54s.

Como larguei de pneus macios - estratégia diferente da maioria do grid - a borracha já estava destruída lá pela volta 12, mas para a estratégia de uma só parada funcionar eu tinha de aguentar pelo menos até a volta 15. Ou seja, seria como operar um milagre.

Estava difícil de controlar o carro, mas consegui chegar à bendita volta 15. E aí rodei, sozinho. Afoito para parar o carro no sentido da pista, deixei correr demais para trás e acertei o muro com o aerofólio traseiro. Burrice sem tamanho que se não quebrou a asa, serviu para enrtortar o carro todo.

Me arrastei até os boxes - perdendo os 20s de vantagem que tinha para o carro de trás - e fiquei 25s parado para a troca de pneus e reparos na carenagem apenas. O que não adiantou lhufas. Saí - com o carro ainda torto - para uma volta pavorosa, com direito a mais duas saídas de pista.

Tive de voltar aos boxes para reparos na suspensão e joguei a corrida no lixo com mais 25s parado. Como tinha dado uma volta com os pneus duros, aproveitei para pôr novamente os esfarelantes macios e ir até o final.

O que não faria a menor diferença, uma vez que voltei à pista em 15º. Ou, último.

A 14ª posição não foi um resultado de todo ruim para alguém que ainda está se acostumando com o comportamento (e acerto) do carro, mas não deixa de ser frustrante para quem chegou a disputar posições muito mais à frente na corrida.

Vamos melhorar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário