23 de junho de 2013

Le Mans 2013 [3]

(Doze em quinze) Acabou ainda agora a 81ª edição das 24 Horas de Le Mans. E deu o óbvio. Vitória da Audi, com o R18 e-tron quattro #2, pilotado pelo trio Tom Kristensen / Allan McNish / Loïc Duval. Kristensen aliás, aos 45 anos de idade, chega à sua nona vitória em Sarthe, e se isola ainda mais como maior vencedor da bagaça.

Uma lenda, pois.

Depois dele, o maior vencedor é outra lenda: o belga Jacky Ickx, com seis trunfos.

Completaram o pódio o Toyota TS030 #08, do trio Anthony Davidson / Stéphane Sarrazin / Sébastien Buemi, e o outro Audi, o #3, de Marc Gené / Oliver Jarvis / Lucas di Grassi. Depois, cruzaram a linha o outro Toyotão, que chegou a bater e voltar aos boxes com metade do carro faltando, e o outro Audi.

As forças, que não são equilibradas nem mesmo dentro de uma mesma categoria (no caso da LMP1), acabaram intercalando as posições no final. Resultado de 24 horas de corrida ininterruptas, onde tudo - tudo MESMO - pode acontecer.

Para se ter uma ideia, o melhor dos Toyotões - que são mais lentos (porém mais econômicos) - terminou apenas uma volta atrás do Audi vencedor. E vinha mais rápido, no final. Não daria para chegar, claro, ainda mais considerando que Kristensen já estava administrando o ritmo para não fazer cagada.

Mas, foi uma boa surpresa o desempenho dos japas.

Na LMP2, os dois Morgan-Nissan da equipe OAK fizeram dobradinha, e se beneficiaram do abandono dos dois Lola B12/60 da Rebellion para completarem a prova em 7º e 8º na geral. O que não e um resultado de todo ruim.

Na GT Pro, dobradinha da Porsche, com o Aston Martin que sobrou cruzando a linha em terceiro. Para derramar ainda mais lágrimas da equipe, que viu o jovem Allan Simonsen perder a vida em um acidente meio bobo, na quarta volta da corrida.

Na GT Am, outra vitória da Porsche, seguida de duas Ferrari F458 Italia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário