7 de julho de 2013

Alemânicas [3]

(Só volto amanhã) Errei tudo desse gepê da Alemanha, viu?! Falei que a Mercedes era favorita, e ela se fodeu. Falei que Alonso podia se dar bem com a estratégia, e o espanhol também se fodeu. Falei que não colocava fé na Lotus, e os dois pilotos foram ao pódio. Torci para Button e Hulkenberg quebrarem, e ambos pontuaram milagrosamente.

Tenho que rever meus conceitos...

Enfim, aí embaixo um pouquinho de como foi esse gepê alemânico.

Na largada, Hamilton não foi tão espetacular como no sábado, e acabou sendo ultrapassado pelos dois carros da Red Bull. Outro destaque foi Massa, que largou bem de novo e passou Ricciardo (uau!) para assumir o sexto lugar.

Vinha fazendo um bom início de corrida, o brasileiro, até rodar sozinho na curva 1, ainda na quarta volta da corrida. Rodou, o motor morreu, abandonou, saiu putão do carro, pegou uma carona até os boxes, entrou no motorhome da Ferrari e provavelmente deve estar lá até agora. Ninguém sabe o que houve, ninguém falou nada oficialmente.

Dizem que foi um problema de câmbio. A alta do dólar, deve ser...

As trocas de pneus começaram antes da volta 10. Até por precaução, acho. Afinal, imagina um pneu durando oito voltas apenas?! Tá errado isso!

Enfim.

Durante a parada de Mark Webber, os mecânicos não colocaram corretamente o pneu traseiro direito que se soltou do carro ainda na área de box, atingindo um cinegrafista da FOM. Um negócio perigoso, que resultou numa baita porrada da roda voando no sujeito. Mas eu ri. Confesso que ri.

Já na volta 13, Alonso - que tinha largado com os duros, ou médios, como dizem - fez sua parada e colocou um novo jogo de pneus duros, ou médios, como dizem (sei que está repetitivo mas, cês já sabem, né?!).

Button curtiu umas voltinhas no pelotão dianteiro até parar na volta 21 (!). Um feito incrível, até. Como também foi incrível ver Grosjean dar 14 voltas com o pneu macio, ou mole, e voltar na frente de Hamilton. Algumas voltas depois o inglês ainda venderia caro a posição para Alonso, numa bela briga.

Já era o quinto colocado, o pole, reclamando muito dos pneus. Como Rosberg mal apareceu entre os dez primeiros, ficou evidente que a Mercedes ainda não se acertou totalmente com os pneus. Ou quis dar essa impressão. Vai saber.

Pouco depois da parada de Hamilton, a tevê mostrou Jules Bianchi estourando o motor e - com o carro em chamas - parando o carro no lado esquerdo da pista. Tirou o volante, saiu, colocou o volante de volta e ia caminhando para os boxes... 

Tudo certinho.

Mas, como estava numa subida, o carro - que não tem freio de mão - começou a descer, sozinho, e chegou a atravessar a pista pra parar do outro lado. Resultou num Safety Car apenas, mas poderia ter dado uma merda gigante. Imagina se a Ana Maria Braga estivesse na pista, por exemplo.

Quem mais se beneficiou disso foi Webber, que eu achei que tinha abandonado, mas que pôde enfim descontar a volta que havia perdido com o problema na sua parada. Como bem frisou o meu amigo Rogério Tranjan pelo twitter, passou 17 carros numa só volta. Um fenômeno, esse australiano.

A relargada veio na volta 30. Metade da corrida, portanto. E o trenzinho dos 10 primeiros trazia Vettel, Grosjean, Räikkonën, Alonso, Button, Hulkenberg, Hamilton, Maldonado, Pérez e Sutil.

Daí em diante, a corrida se resumiu à caça de Vettel pelas duas Lotus.

Primeiro, Grosjean chegou, ameaçou mas não passou. Seus pneus acabaram e ele teve de fazer a troca na volta 40. Vettel, que não é bobo nem nada, parou na volta seguinte. Räikkonën permaneceu na pista para tentar o bote, mas também não conseguiu nada.

O finlandês parou junto com Alonso na volta 50, e ambos partiram como dois alucinados para as 10 voltas finais. Räikkonën, decidido a vencer - e com carro pra isso - e Alonso com inveja do finlandês, apenas.

Na volta 52, Grosjean - então o segundo colocado - teve de ouvir no rádio algo como "Kimi is fasther than you". Grosjean respondeu que estava com problemas no rádio, e que não havia entendido a mensagem.

Na volta 55, o rádio foi diferente. Algo do tipo "abre, caralho!"

E aí ele entendeu e abriu.

Räikkonën até tentou, mas Vettel foi bastante competente no final e sustentou a ponta. Como foi competente também Grosjean, que depois de fazer uma bela corrida, soube se defender bem dos ataques de Alonso e faturou um pódio.

Completando os dez primeiros, Hamilton foi o quinto, seguido por Button, Webber, Pérez, Rosberg e Hulkenberg. E, um parêntese aqui: com exceção de Webber - que se fodeu por conta da equipe - nenhum desses tinha carro para chegar onde chegou.

2 comentários:

  1. Jaime,

    Foi uma corrida interessante, mas confesso que esperava mais do final.

    abs


    ResponderExcluir
  2. Marcelo de Castro7 de julho de 2013 23:31

    Putz, Ana Maria Braga na pista foi boa demais!!!!. Não foi a corrida dos sonhos, é verdade, mas até que foi interessante.
    Estranho como as pessoas mudam de opinião: O Galvão Bueno disse que era normal o Grosjean abrir para o Haikkonen, mas quando o Massa teve que abrir para o Alonso o mundo quase parou...não me venha com essa de situações diferentes!! as equipes tem bem claro seus 1º e 2º pilotos.
    Para Massa a coisa ficou bem feia e sinceramente não consigo vê-lo na Ferrari mais e essa é a hora de buscar algo novo em um carro competitivo, antes que acabe a pé

    ResponderExcluir