24 de agosto de 2013

(Spa)rramadas [2]

(Ah Spa...) O fim de semana do Grande Prêmio da Bélgica é sempre fascinante. A pista é ótima, e o clima quase sempre faz as coisas ficarem ainda mais legais. Hoje teve disso. Teve de quase tudo, aliás. Nanicas passando para o Q2, uma pole provisória bastante incomum, Vettel estragando a festa de todo mundo e Hamilton chegando para salvar o universo das forças do mal.

Foi legal pacas, o treino.

A chuva apareceu alguns minutos antes do Q1, o que fez com que todos saíssem já com os pneus intermediários. Mas, faltando quatro minutos para o fim, a chuva parou e a pista começou a secar. 

Com exceção de Pic(a), todas as nanicas passaram para o Q2. Foi a primeira vez no universo das corridas de Fórmula 1 que a façanha aconteceu, e os degolados acabaram sendo Maldonado, Vergne, Ricciardo (sem "uau!" hoje), Bottas, Guti-Gutiérrez e o já citado marussiano Pic(a). O maior destaque foi Van Der Garde, da "Keyterran", que fez o terceiro tempo. Há boatos de que já foi especulado na Ferrari, por conta disso...

O Q2 foi mais normal, e previsível também. Com a pista seca, passaram Räikkonën, Alonso, Rosberg, Webber, Button, Vettel, Grojã, Di Resta e Hamilton. Além dos três nanicos, ficaram de fora também Hulkenberg, Sutil e Pérez. Coitados.

Mas o melhor ainda estava por vir.

No início do Q3, quase que ao mesmo tempo em que a luz verde foi mostrada, a chuva começou a cair no circuito todo, de novo. Quase todos - que saíram com pneus slick - tiveram de retornar aos boxes e trocar pela borracha intermediária. Di Resta foi o único que já saiu com os pneus de chuva, e apareceu sozinho na pista, todo pimpão, caminhando para uma pole histórica.

A chuva apertou, e - obviamente - ninguém conseguia baixar o tempo de Di Resta, mesmo com os pneus apropriados. Mas, Spa é Spa, e nem tudo estava decidido ainda.

A pista melhorou, e todo mundo conseguiu baixar seus tempos. Rosberg foi o primeiro a desbancar o forceíndico pimpão, depois, ambas as Red Bull aproveitaram a melhora da pista e cravaram a primeira fila. Nesse momento, todos tentavam melhorar suas marcas de alguma maneira, mas a dobradinha da Red Bull parecia inatingível.

Só parecia.

Com o cronômetro já zerado, um esquecido Rêmilton desbancou o alemãozinho enjoado da Red Bull por míseros 0s188. O mercêdico cravou a sua quarta pole consecutiva, sua quinta na temporada, e a 31ª da carreira. Está a apenas uma da marca de Nigel Mansell, o sexto nas estatísticas.

Completam os dez primeiros os touros vermelhos Vettel e Webber, Rosberg, desolado Di Resta, vaga-lume Button, Grojã, Räikkonën, Alonso e Massa (pfff...).

Aqui, um parêntese.

Pode parecer cedo, mas dependendo do que acontecer amanhã, Lewis Hamilton pode sim, entrar de vez na briga pelo título. A Mercedes é, hoje, um carro quase imbatível em classificações, e eles tem aprendido a transformar isso em vitórias. Afinal, depois do tal "teste secreto" em Barcelona, já se passaram cinco etapas, com quatro poles e três vitórias dos prateados. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário