20 de agosto de 2013

Troca-troca

Embora o título do post seja bastante sugestivo, eu falo "apenas" de trocas de capacetes - no mínimo curiosas - que já aconteceram na Fórmula 1. Acho até que o primeiro caso, do Coulthard, eu já havia publicado aqui. Mas como é legal a história, vale o repeteco.


1. David Coulthard em Mônaco, 1996.



Com problemas de embaçamento da viseira às vésperas do gepê de Mônaco, o escocês David Coulthard pediu o capacete reserva de Michael Schumacher, da Ferrari, emprestado. Como ambas as equipes tinham o mesmo patrocinador master - a Marlboro - não houve maiores problemas. E deu sorte. Coulthard chegou em segundo, atrás somente de Olivier Panis. Seria o melhor resultado da McLaren naquela temporada.


2. Stefan Johansson em Detroit, 1986. 









Atrasado para os treinos livres, o sueco saiu apressado do hotel e acabou esquecendo seu capacete (!). Sem tempo para voltar, pediu ajuda ao inglês Nigel Mansell, que lhe emprestou um dos seus cascos. Depois de alguns reparos com fita adesiva vermelha - para descaracterizar a bandeira inglesa e cobrir os patrocinadores da Williams - Johansson estava pronto para ir para a pista.


3. Jo Siffert no México, em 1970. 


O capacete do suíço havia sido roubado dentro dos boxes do autódromo Hermanos Rodriguez, no México, e a solução encontrada foi pedir um casco emprestado ao amigo Emerson Fittipaldi.

2 comentários:

  1. Nossa. Eu não sabia dessas coisas! Legal o post. Mas eu jamais eu usaria o capacete do Schumacher! Eu tenho uma birra inexplicável com esse piloto. Sério eu não sei o pq!

    OBS: Como o cabeção do Coulthard coube no capacete?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É exatamente por causa disso que continuo com isso aqui! Trazer boas histórias e boas fotos... Agora, boa pergunta essa sua.

      Ps.: Eu acho esse capacete do Schumacher, branco, mais bonito do que o todo vermelho que ele adotou tempos depois.

      Excluir