29 de setembro de 2013

Coreânicas virtuais [2]

Foi caótica a etapa virtual de Yeongam, na categoria Fórmula Light do clube F1BC. Larguei em P12 e cheguei em P11. Como apenas 13 dos 22 carros chegaram ao final, eu fui virtualmente o penúltimo colocado. Mas, como isso não é lá muito legal de falar para os patrocinadores, prefiro deixar como "13º colocado" mesmo. Foda-se. Afinal, ninguém precisa saber quantos carros chegaram.

Como estava chovendo horrores, larguei com uma certa cautela. E, ainda nos primeiros metros aconteceu uma merda federal bem na minha frente. Pelo replay, vi que o segundo colocado esqueceu de largar, o quarto tentou desviar e não conseguiu, e o sexto - o Daltton, um dos meus companheiros de equipe - também sifu. Todo mundo bateu. O carro que estava bem na minha frente conseguiu frear e escapar, mas eu não, e acabei acertando o sujeito de leve. Pelas circunstâncias, foi um toque de corrida só.

Cheguei na primeira curva em P9, com o cara que tinha largado em P2 e iniciado a confusão exatamente na minha frente. Sei lá como. Logo atrás de mim estava meu outro companheiro de equipe, o Anderson Soares.

Aí eu rodei.

Além dos pneus e freios frios, eu ainda tive a infelicidade de tocar na zebra bem no ponto de freada. Não deu outra, o negócio vira um sabão quando chove, e acabei vendo o mundo ao contrário. Não bati em nada e ninguém me bateu, também. Sorte de campeão, sabe? Voltei à pista em P14, e ainda na primeira volta passei por muita gente ao contrário que estava pelo caminho.

Mas, não era o meu dia mesmo. Ainda na movimentada primeira volta, o Tony Peixoto saiu da pista e voltou bem na minha frente. Não sei se me viu. Eu até tentei evitar o toque, mas acabei escorregando e acertei a roda traseira dele. Saímos da pista, nos encontramos de novo, e aí sim, meu carro entortou todo.

Minha corrida foi pras cucuias com esse toque.

Três voltas depois tive de parar nos boxes para fazer reparos e aproveitei para antecipar minha troca de pneus. Teria de fazer outra depois, mas, não dava pra continuar. Desse momento até o final eu rodei e saí da pista umas 15492834 vezes, além de parar mais duas para reparar o carro. Um horror. A minha sorte foi que muita gente também rodou, bateu e abandonou. Ou simplesmente desistiu. Encheu o saco, sei lá. Afinal, estava chovendo MUITO.

Mas, cheguei ao final e somei uns pontinhos. Foi positivo, o resultado.

Uma salva de palmas para a corrida do Anderson Soares, meu companheiro de equipe, que largou em um modesto P14 para terminar em P2. Um fenômeno, esse garoto. Foi esperto, também. Escapou do bate-bate na largada, ganhou umas posições e permaneceu na pista encharcada quase sem errar, e andando como se não houvesse amanhã.

Vai disputar o título.

Aí embaixo tem o vídeo da minha largada fenomenal e da primeira volta desastrosa. Deu trabalho para editar, portanto, assistam! Para ver o VT completo da transmissão, com direito a narração e comentários, basta clicar aqui.

Nenhum comentário:

Postar um comentário