17 de setembro de 2013

Montoya lá

(Esse sabe) Não acompanho a Indy. Muito menos a Nascar. São categorias que já foram legais em outrora, mas que não me despertam mais o menor interesse. Não conheço os pilotos, os circuitos - os da Nascar até devo conhecer, afinal, o calendário continua mais ou menos o mesmo - e equipes.

"Tudo bem, Jaime. Mas, por que falar da Indy e da Nascar se você não assiste, não acompanha e tudo o mais?" - indagarão vocês.

Simples.

Juan Pablo Montoya - aquele mesmo colombiano que chegou à F1 pela Williams em 2001, peitando Schumacher, e inciando uma certa rivalidade com o alemão - foi despedido pela Chip Ganassi, na Nascar, e anunciou seu retorno aos monopostos pela Penske, na Indy. Em 2014 será, portanto, companheiro de equipe de Helio Castroneves e Will Power.

Legal, a notícia. Sem dúvida é um nome que pode melhorar a imagem da combalida Indy. E, por mais que Montoya esteja um pouco (ok! O "um pouco" foi bondade minha) acima do peso, ainda é um baita piloto. Em seu currículo está um título na CART (que nada mais é do que a atual Indy , certo?), uma vitória nas 500 Milhas de Indianápolis, vitórias e disputa de título na Fórmula 1, além de vitórias em esporte protótipos e até na divisão principal da própria Nascar. Duas, só. Mas mesmo assim, acho que são conquistas relevantes.

Enfim, desejo sucesso ao colombiano, que mesmo com seus 38 anos, se ainda estiver em condições de pilotar o que sabe, certamente vai incomodar os bracinhos de dinossauro que andam na Indy.

Dúvidas?

Basta ver o vídeo aí embaixo, com as voltas finais das 500 Milhas de Michigan de 2000. Montoya, na Ganassi, contra Michael Andretti, na Newman/Haas. Acho até que já postei ele aqui antes. Não sei. Mas de qualquer maneira, é sempre bom rever.

Nenhum comentário:

Postar um comentário