8 de setembro de 2013

Parabólicas [3]

(zZz) Corrida previsível essa de Monza. Se você não dormiu, certamente reparou nas pérolas ditas pela transmissão global, nas Catheram bem mais rápidas que as Marusssia, em brigas pelo 13º lugar, no abandono de Vergne e no Button. Ou seja, coisas que você não se daria ao trabalho de reparar numa corrida boa.

A chuva que faltou em Spa até caiu em Monza, fina, pouco antes da largada. E era a única possibilidade de bagunçar um pouco as coisas. Entretanto, a corrida foi com pista seca, infelizmente.

A largada foi até animada. O melhor de todos foi Massa (!), que aproveitou a péssima largada de Hulkenberg (não está acostumado, coitado) e pulou para segundo, jantando Webber e Alonso. O companheiro ainda tentou voltar, mas levou um belo "chega pra lá". Mais atrás, Sergio Pérez foi outro que largou bem, mas foi acertado por Räikkonën, o que fez com que passasse reto na primeira chicane. Räikkonën levou a pior, tendo que parar nos boxes ao final da primeira volta para trocar a asa dianteira.

Paul Di Resta não passou da primeira volta. Não vi, mas parece que esqueceu de frear e atropelou alguém (Grojã?). Uma merda federal pelo que vi no replay... Mas, quem liga pro Di Resta? Pior para grojã, que mesmo acertado pelos outros é posto "sob investigação"...

Voltando lá pra frente, Alonso embutiu na traseira de Webber e passou o marsupial na terceira passagem. Cinco voltas depois foi a vez de Massa ser jantado pelo espanhol, com ares de "Alonso is fasther than you". Normal. Afinal, Alonso ainda briga pelo campeonato (pfff), enquanto Massa faz figuração, somente.

A corrida esfriou, e na volta 10 os dez primeiros eram Vettel, Alonso, Massa, Webber, Hulkenberg (uau!), Rosberg, Ricciardo, Pérez, Vergne e Button.

O rádio da Mercedes avisava a Hamilton de um pequeno furo no pneu, o que obrigaria o inglesinho a antecipar sua parada, mudar sua estratégia para dois pits e dar adeus à corrida. Com problemas no rádio, Hamilton demorou três voltas para finalmente entrar.

Na volta 20, a ordem era Vettel, Alonso, Massa, Webber, Hulkenberg, Rosberg, Ricciardo, Pérez, Button e Grojã.

Repararam? Em dez voltas, a única mudança entre os dez primeiros foi o abandono de Vergne (um motor estourado na F1 depois de quantos anos?). A corrida estava tão sem graça, que até Alonso inventou uma para se distrair. Reclamou pelo rádio, em italiano, de uma luz intermitente na traseira do carro de Vettel. Era, claro, mais um mimimi do espanhol... 

Vettel fez sua parada na volta 24, enquanto Alonso esperou até a 27. A Ferrari disse que o retardo da parada foi uma opção do espanhol. Ninguém sabe o porque. Desconfio que nem ele mesmo saiba... Mas, convenhamos, não faria a menor diferença. Vettel estava inalcançável. 

Da volta 27 até a volta 49, a única informação lida por mim foi: as duas Marussias estão 30s atrás das duas Caterham, que por sua vez estão 25s atras do resto. Foda-se, né?

Na volta 49, a quatro do fim portanto, Hamilton e Räikkonën - que haviam parado cedo e optado por uma estratégia com duas paradas - apareceram andando como se não houvesse amanhã. Fi uma briga bonita, e depois de algumas investidas, Hamilton passou.

Passou, abriu, jantou a dupla da McLaren e só não jantou Grojã e Ricciardo porque errou uma freada na última volta e perdeu contato. Seriam cinco carros em três voltas. Enquanto o companheiro Rosberg... Bom, melhor nem comentar, né?!

Lá na frente, Vettel faturou a 32ª vitória da carreira. Passou Mansell e empatou com Alonso (!) como quarto maior vencedor da história. Com mais dez trunfos apenas, alcança Senna nas estatísticas, que tem 41 canecos.

Completaram o pódio Alonso e Webber, seguidos de Massa, Hulkenberg (uau!), Rosberg, Ricciardo, Grojã, Hamilton e Button. E, não há muito o que se falar do resultado de Hulk. Basta ver onde chegou seu companheiro Guti-Gutierrez: em 13º, pouco mais de 30s atrás do incrível homem verde.

Um comentário:

  1. Bom... vc perguntou se não dormi. Posso dizer que foi quase rsrsrsrs...

    Abs!

    ResponderExcluir