13 de outubro de 2013

Nipônicas [2]

(Quero ver falarem do espigão agora...) Foi legal a corrida de hoje, no Japão. Vettel ganhou de novo, mas dessa vez não foi um simples passeio no parque não. Teve inclusive de passar gente na pista. Tudo bem que foi o Grosjean, e nem foi tão difícil assim, mas teve...

Na largada, Grojã pulou de quarto pra primeiro. Era o primeiro capítulo da corridaça desse garoto. Rêmilton também largou bem, e vinha no embalo para assumir a segunda posição. Se enfiou entre as duas Red Bull e chegou até a passar Vettel, mas um toque da roda traseira direita dele na asa dianteira do alemãozinho furou seu pneu e fodeu com a sua corrida, seu carro e sua vida. Abandonou algumas voltas depois.

Mas, voltemos à largada. 

Webber, o pole, largou melhor do que de costume, e só perdeu a posição para o Grojã, mesmo. O trenzinho atrás do australiano tinha Vettel em terceiro, seguido de Massa, Alonso, Hulkenberg, Pérez, Gutiérrez e Button.

Massa atrás de Alonso. E a transmissão entoando aquele coro de que "Oh, o Massa não vai mais ajudar Alonso". Ainda mais, depois de um rádio da Ferrari que dizia "multifunction strategy A, now please". Algo como um "abre, porra" disfarçado. De fato, Massa não abriu. Seguiu na frente.

O primeiro da turma da frente a parar nos boxes foi Webber, na volta 12. Massa também. Na seguinte, foi a vez de Grosjean. Na 14 parou Alonso, e na 15, Vettel. Tudo normal. Ninguém ganhou a posição de ninguém. As exceções foram Ricciardo e Hulkenberg, o incrível, que apareceram em quarto e quinto, respectivamente. O primeiro havia largado de pneus de pau, duros, e ainda não tinha parado. O segundo... Bom, o segundo é incrível. Ponto.

O trenzinho trazia Grosjean, Webber, Vettel (e anos luz depois), Ricciardo, Hulkenberg, Massa, Alonso, Räikkonën, Gutiérrez, Pérez e Rosberg. E, de novo o coro "Oh, o Massa não vai mais ajudar Alonso".

Da 20ª a 24ª volta aconteceu um dos momentos mais agitados da corrida, justamente nesse pelotão aí da meiúca. Hulkenberg passou Ricciardo, que enfim, parou. Alonso passou Massa e foi buscar Hulk, o incrível. Gutiérrez se empolgou e tentou passar Massa por fora. Não conseguiu. E acho que foi só, tudo se acalmou de novo.

Lá na frente, os dois carros da Red Bull apertaram o ritmo, e destruíram a vantagem de Grojã, que, vá lá, não era grande coisa. Webber parou de novo, na 26, e voltou em terceiro. Atrás de Vettel, e 15s atrás de Grosjean, o líder. Tática de três paradas para o australiano. Se ia funcionar, ninguém sabia.

Na volta 30, Grosjean entrou, com Vettel já no seu encalço. O alemãozinho só parou na volta 38, voltando atrás de Webber e Grosjean. Mas o primeiro teria de parar novamente, e o segundo, teria pneus 8 voltas mais gastos. Presas fáceis.

Na 41, Vettel colou em Grosjean, abriu a asa, tirou para o lado de dentro e passou. Tudo certinho. Eu, sinceramente, esperava mais resistência do francesinho. Mas entendo o lado dele. O pódio estava garantido e, arrumar uma merda federal a essa altura do campeonato não valia a pena, mesmo. 

Faltava agora Webber, que estava 15s à frente com aquele mesmo pneu do século passado.

O australiano parou na 43, e voltou em terceiro, só que com pneus tinindo, brilhando. Tinha então, 10 voltas para correr atrás do prejuízo, passar Grojã e Vettel e vencer. Na calculadora, dava. Andava como se não houvesse amanhã, voava, e quatro voltas depois, na 47, encostou em Grosjean. Era tirar de lado, passar e ir buscar o alemãozinho enjoado que estava logo ali na frente.

Mas aí, Webber não passou.

Quando passou, na 52, já era tarde. Vettel já estava 7s na frente, comemorando, agradecendo e dizendo que amava todo mundo. Venceu de novo, mas dessa vez teve trabalho. Grosjean completou o pódio atrás dos tourinhos vermelhos, seguido de Alonso, Räikkonën, Hulkenberg, Gutiérrez, Rosberg, Button e Massa.

Um parêntese aqui.

Guti-Gutiérrez pontuou pela primeira vez na carreira. São os primeiros pontos de um estreante em 2013. Aliás, a Sauber fez uma boa corrida no Japão com o sexto lugar de Hulkenberg, o incrível, e o sétimo e Guti-Guti. Somaram 14 pontos hoje, passaram a Toro Rosso e estão a apenas 18 pontos da Force India no mundial de construtores. É uma boa grana a mais para o ano que vem. 

Ah, outro parêntese.

Felipe Massa - aquele mesmo, que largou na frente do Alonso, que ficou na frente do Alonso, que disse que não ajudaria mais o Alonso, e que chegou atrás do Alonso, em décimo - disse que recebeu sim, ordens via rádio para abrir, mas não o fez. Machão! Só falta deixar de mimimi e acelerar. Hoje, lhe enfiaram um drive-trought infantil (por ultrapassar o limite de velocidade nos boxes), e ainda foi ultrapassado nos últimos metros de corrida pelo Button. 

Enquanto isso, Hulk, o incrível, vai conquistando a Lotus...

Nenhum comentário:

Postar um comentário