10 de outubro de 2013

O mundo ideal

Hulkenberg, Grosjean e Maldonado.

O primeiro, é uma grande promessa, e um dos mais cotados para ser companheiro do segundo, na Lotus. Já os outros dois, são tidos tido como aberrações, mesmo. Pilotos "não dignos" de estar na maior categoria de monopostos do planeta. 

"- Os dois são trapalhões. Batem. São uns doidos varridos" - esses, são apenas alguns dos comentários que eu leio por aí.

Mas, qual a diferença entre eles?

Todos foram campeões da GP2, que hoje é tida como a categoria escola da Fórmula 1, em substituição à antiga F3000. Hulkenberg faturou em 2009, Maldonado em 2010 e Grosjean em 2011. Escadinha.

Todos esses, títulos legítimos, diga-se.

Antes disso, Hulkenberg faturou a extinta A1GP (em 2006/2007), Grosjean teve títulos na Fórmula Renault francesa, na F3 Euro Series, na GP2 Asia e na AutoGP, enquanto Maldonado levou o caneco da  Fórmula Renault italiana (esta, a mesma que Felipe Massa faturou, por exemplo).

Esses currículos não valem de nada?

Agora, falando de Fórmula 1.

E aqui estou considerando conquistas, mesmo. Resultados concretos. Afinal, "boas corridas" com abandonos não significam absolutamente nada. E, como os três estão em sua terceira temporada por lá (mesmo que, com carros diferentes), fica mais fácil de comparar as performances.

Nesse período, Hulkenberg tem somente uma pole (conquistada em situações adversas, a chuva, em Interlagos/2010) e nada mais, Romain Grosjean faturou 1 volta mais rápida e 6 pódios, enquanto Maldonado acumulou uma pole position e uma vitória.

E aqui, um parêntese.

A vitória de Maldonado, em Barcelona/2012, com uma Williams capenga, não foi em uma situação adversa. Não teve chuva, não teve regulamento burlado, não teve os principais carros/pilotos fora da prova. Foi no braço, mesmo.

Voltando.

Nenhum dos três possui estatísticas tão maravilhosas assim, certo?

Talento?

Está lá, nos três casos. Embora eu até concorde que, em relação aos outros dois, Hulkenberg esteja em alta no momento. Veja bem, no momento! Mas aquele "poder chegar lá e arrebentar" não são parâmetro para mim. Não especulo sobre isso. Da última vez que fiz, foi a favor do Alesi. E, olha no que deu o Alesi!

Merecer estar no grid, os três merecem. Possuem títulos que os credenciam para isso. E o único diferencial do Hulkenberg é a não dependência de aporte financeiro. Não agrega patrocinadores. Ou seja, não traz grana. 

Mas, isso o torna um melhor piloto do que os outros dois? 

Até agora, não.

Só o coloca no patamar de um mundo ideal.

Mas, desde quando a Fórmula 1 é o mundo ideal?

Um comentário:

  1. como comentei em um post ai pra trás, não gosto do Maldonado, acho que é implicância mesmo...
    ele se acha muito... rápido ele até é, mas erra muito, se quiser ser campeão fica complicado... ja os outros dois, parecem ser rápidos. Mas rápido por rápido ja passaram mtos pela f1... alguns dão sorte de caírem em um carro a altura, mesmo que demore.. tipo o Hakkinen (q eu sempre torci, em especial contra um alemão ai..) então, temos q esperar de qqr forma

    ResponderExcluir