28 de novembro de 2013

Números

Não está nada definido ainda, mas é legal a ideia da FIA, de permitir que os pilotos escolham seus próprios números a partir da temporada que vem. Hoje, como se sabe, a colocação no Mundial de Construtores do ano anterior é o que define os números de cada equipe, sendo que o piloto campeão leva o 1, sempre. E, caso mude de equipe, essa equipe ganha o direito de utilizar o 2 em seu outro carro. 

Em 1974 as equipes receberam números fixos tendo com o base o resultado no mundial de Construtores de 1973. As equipes só trocaram a numeração quando venceram o campeonato, assumindo assim o 1 e 2. Daí vêm nossas memórias com o o 3/4 da Tyrrel, o 5/6 da Brabham, o 11/12 da Ferrari, que também já usou o 27/28 depois, assim como a McLaren e a Lotus já usaram o 11/12.

Vale lembrar que em 1984 houve uma redistribuição da numeração, por conta das lacunas deixadas tanto por equipes novas como por equipes que saíram do mundial. Por isso essa zona toda de uma equipe ter usado mais de uma dupla de números.

Dupla de números. Ficou estranho, isso.

Enfim, isso valeu até 1995, quando passou a valer a regra atual. E eu sempre gostei dos números. Assim como a pintura dos capacetes, ajudam na identificação do piloto pela galera que vai aos autódromos. Cria aquela marca, sabe?Do tipo "- O 27 bateu! Puta merda, o 27 é o carro do Alesi". Hoje não. Hoje se o cara bater, só se sabe de qual equipe é o carro. O piloto, não dá pra saber nem fodendo. Tipo, as Marussias... Se um dos dois bater hoje, você reconhece o capacete de algum dos pilotos?

Se bem que a Marussia não é parâmetro, né? Mas, ah, vocês me entenderam... 

Listei algumas curiosidades aí embaixo. Quem souber de mais alguma, que comente, pois.

- O número 0 só foi utilizado por dois pilotos até hoje. Damon Hill, nas temporadas de 1993 e 1994, e Jody Scheckter, nas etapas de Estados Unidos e Canadá de 1973.

- Só um piloto usou o 1 sem ter sido campeão: Ronnie Peterson, em 1974. Na ocasião, o campeão de 1973, Jackie Stewart, se aposentou e a Lotus foi campeã de Construtores.

- O número 13 só apareceu em duas oportunidades: com o mexicano Moises Solana, no México, em 1963, e na tentativa da piloto Divina Galica de se classificar para a largada do GP da Inglaterra de 1973.

- Li em algum lugar que o número 5 foi de muitos campeões mundiais. Talvez o número com mais títulos, acho. Sei lá. Sinceramente, não parei pra pesquisar quantos, quem e muito menos quando. Vocês sabem?

2 comentários:

  1. Jaime,

    esse #27 da Ferrari de Gilles é emblemático...

    ResponderExcluir
  2. Jaime, acho que o #5 ser o número com mais campeões parece ser verdade, pois de cabeça lembro do Piquet (81,83), Mansell (92), Hill (96), Alonso (05) e Vettel (10). Agora, você sabe por que a McLaren usou os números 7 e 8 em 93? Já que o Mansell foi o campeão em 92 e trocaria os #5 e #6 da Williams com os #1 e #2 da McLaren. A Williams usou os #0 e #2 porque o Mansell se aposentou, mas porque a Benetton usou os #5 e #6 e não a McLaren? Abraco!

    ResponderExcluir