12 de novembro de 2013

Pano pra manga

Deu pano pra manga, como dizem, o vídeo da matéria realizada pela revista Veja São Paulo utilizando uma Fiat 147 Europa com o intuito de criticar o Sistema de Fiscalização Veicular de São Paulo. Simplesmente porque o filmete não expõe as (muitas) falhas do sistema, e se limita a criticar o carro escolhido, bem como seus problemas de fabricação.

Isso, claro, emputeceu o pessoal do Fiat 147 Clube do facebook, que resolveu colocar a boca no trombone. Eu ajudei a redigir o texto que foi enviado para a direção da revista, e o reproduzo aí embaixo, na íntegra. O vídeo, para quem não viu, está aqui.

Senhores,
O Fiat 147 Clube do Brasil expressa por meio desta, seu total descontentamento com a matéria realizada pelo Sr. Maurício Xavier na edição 2347 da revista “VEJA - São Paulo”.
A louvável iniciativa de criticar o falho Sistema de Fiscalização Veicular da cidade de São Paulo transformou-se em um vídeo tendencioso, onde simplesmente são feitas críticas ao veículo utilizado, sem ao menos deixar claro para o leitor/telespectador os motivos básicos que pudessem impedir a circulação do modelo utilizado, e de qualquer outro veículo que pudesse ilustrar a reportagem (como problemas de sinalização, segurança e outros), colocando em dúvida, inclusive, a veracidade das informações explícitas pelo repórter no vídeo em questão. 
E mais, durante os pouco mais de 3 minutos de imagens, o Sr. Maurício Xavier se limita a citar exemplos de problemas crônicos do modelo utilizado. Problemas estes que representavam falhas na produção do modelo Fiat 147, mas que jamais impediram a circulação do mesmo, uma vez que os veículos já saíam de fábrica com estes pequenos defeitos, porém, com sua circulação garantida por lei. Cito, como exemplo, o problema crônico de se engatar a 1ª marcha.
Por fim, reiteramos o descontentamento com a forma como a reportagem foi conduzida, desviando o foco principal (repito, louvável) em detrimento à destruição da imagem de um dos carros mais representativos na história da indústria automobilística brasileira. Uma vez que o modelo 147 foi o primeiro veículo da Fiat com fabricação no Brasil, o primeiro veículo a ter versões derivadas (pick-up, furgão, sedan e hatch), e, posteriormente, também o primeiro veículo produzido em série movido a álcool.
Sem mais.
Comunidade Fiat 147 Clube

3 comentários:

  1. Que coisa... Se fosse um Fusca tava tudo bem? Um Corcel GT 73 xexelento?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Não Groo, nenhum desses caros merece uma reportagem dessas. Aliás, o vídeo não teria sido tão criticado se fosse editado para mostrar as falhas da fiscalização em si, e não os defeitos do carro.

      Mas, aproveitando, é uma 147 né?! rs

      Excluir
  2. acho lamentável como colocaram a situação - deu a entender que o 147 é uma porcaria... e não é.... o modelo fabricado em Betim entre 1976 e 1986 derivou do 127 italiano e foi revolucionário em nosso país... considerando os veículos existentes até então...

    existem fuscas em estado impecável quanto existe fuscas em péssimo estado de conservação...
    existem opalas em estado impecável quanto existe opalas em péssimo estado de conservação...
    existem galaxies em estado impecável quanto existe galaxies em péssimo estado de conservação...

    e por aí vai...

    ResponderExcluir