4 de fevereiro de 2014

Sobre os tempos

O gráfico aí em cima é um comparativo dos melhores tempos, em segundos, das sessões de pré temporada em Jerez, desde 1999. Quanto mais alto o ponto, mais alto o tempo, entenderam?

E por que isso, Jaime?

Bem, não é novidade que os pilotos têm reclamado da velocidade dos carros de 2014...

A matéria da Autosport está aqui.

(sim, o gráfico é basicamente o mesmo que ilustra a matéria de lá.)

E sim, os carros estão realmente mais lentos. O tempo de Magnussen só é mais rápido do que o de Zonta em 1999, de BAR, e o de Coulthard, de McLaren, em 2000.

Claro! Os motores...

Os novos V6 turbo de 1,6 litros, limitados a 15.000 rpm, aposentam os veoitões, limitados a 18.000 rpm, que eram utilizados desde 2006, e que por sua vez tinham substituído os V10, fodões.

Mas não é só isso.

Fazendo um esforço (e pesquisando, claro) dá pra lembrar de algumas coisas.

Em 2007 a categoria passou a ter apenas uma fornecedora de pneus, a Bridgestone. Em 2009 voltaram com os pneus slicks, baniram uma série de soluções aerodinâmicas e passaram a utilizar o KERS. Em 2010 o reabastecimento foi proibido, e o peso mínimo dos carros subiu de 605 para 620 kg. Em 2011, além da proibição do difusor duplo (aquele da Brawn, lembram?), os carros passaram a usar os pneus de farinha da Pirelli.

E aí?

Mais alguma coisa para justificar a "velocidade de GP2", como disse o Button?

Um comentário:

  1. Chamando a atenção para como a McLaren se dá bem nesta pista.
    Belo gráfico, Jaime.
    Abraços,
    Ialdo

    ResponderExcluir