5 de março de 2014

P19

(Terminamos) Depois de faltar às etapas de Barcelona e Yeongam, e abandonar a etapa de Nürburgring batendo sozinho, enfim completei uma corrida nessa bagaça, no Bahrein, sábado retrasado, pelo clube F1BC.

Não treinei NADA para a etapa. Só na manhã do dia da corridafui pegar no carro pra dar uma voltas na pista de Sakhir, com o setup da pista de Yeongam. Um horror! Mas, o objetivo não era nem virar bons tempos, e sim me lembrar de quando se virava pra onde. Decorar traçado, essas coisas. Afinal, não lembro direito dessas pistas com menos de 20 anos.

Mas, logo de cara ficou claro onde eu estava: de décimo e alguma coisa pra trás. Na realidade, décimo e muito seria o termo certo. Na classificação, com um setup emprestado e ajustado na última hora, saí para as minhas duas voltas rápidas. Na primeira tentativa virei na casa de 1m52, na segunda melhorei uns 9 décimos, e fechei com 1m51s912. P15. Para quem não andou quase nada estava de bom tamanho.

Na classificação, o melhor da equipe foi o Daltton, em 10º, com 1m50s030. Poderia ser melhor até, mas ele acabou rodando no finalzinho da segunda volta rápida, quando estava uns 1s8 mais rápido.

Acontece.

Na largada, a expectativa era de que desse uma merda gigantesca. Ainda mais largando ali no meio. E deu mesmo. Fiquei por fora, na esperança de que não sobrasse nada pra mim. Mas o Márcio Medeiros bateu na minha frente e eu, pra não bater junto, tirei o pé e perdi o embalo. Além disso, ainda na primeira volta virei sanduíche. O Leonardo Lopes não me viu (ou fingiu que não viu) e desviou de um carro mais lento jogando o carro em cima de mim. Esperto. Ao invés de se foder sozinho, me fodeu junto. Sem ter muito o que fazer, tirei o pé antes que desse uma merda maior e acabei acertado em cheio pelo William Cairo. Rodei. Fiquei pra trás. Me fodi.

Como qualquer chance na corrida tinha ido pras cucuias já, me concentrei em terminar a prova e aprender um pouco mais sobre o carro e sobre os pneus. Acumular quilometragem, e treinar situações de corrida.



Nas primeiras voltas eu, o Anderson Soares e o Aldemir Rella (todos da mesma equipe), formamos um pelotão lá no fundão pra tentar chegar a algum lugar. Com exceção do Anderson, que conseguiu se concentrar e achou um bom ritmo, eu fui ficando (eu não treinei, lembram?) pra trás, e só tive alguma briga com o Eduardo Carvalho, da Sinister, que inclusive chegou a me rodar no grampo, ainda no começo.

Fiz a classificação de pneus médios, que aguentaram bem até o final da volta 10, quando fiz minha única parada. A partir daí, calçando pneus de pau, tentei economizar para chegar até o fim apenas com essa troca. Afinal, já que eu estava lá atrás, longe de todo mundo, não custava nada arriscar.

Quase deu certo. Faltando duas voltas para o final o estado dos pneus traseiros era tão crítico, que rodei algumas vezes, desgastando a borracha ao ponto de o traseiro esquerdo estourar no terceiro setor da última volta, e o traseiro direito logo depois da linha de chegada.

Aí embaixo, como sempre, a largada e a primeira volta vistas da minha onboard.



No próximo sábado tem etapa, em Melbourne, Austrália. Minha etapa preferida. A última vez que andei lá, consegui um segundo lugar e a volta mais rápida, se não me engano. Vamos ver.

Um comentário:

  1. Boueri, já arriscou-te no Iracing? Comparando-me um com o outro - RFactor com o Iracing -, parece-me que o primeiro tem uma física um pouco mais real (pouca coisa), mas nem por isso o Iracing é ruim. Pelo contrário, o simulador é muito bom, pelo seguinte: além de a física ser boa (embora, repise-se, não seja 100% tão boa quanto ao do RFactor - eu diria que é 90% tão boa quanto), ha um sistema de pontos para acidente (se a pessoa comete acidentes, ela perde pontos e não consegue evoluir na carreira). Isso é muito interessante, pois as corridas tendem a ser limpas e o simulador acaba sendo um "educador" para os pilotos virtuais (esse sistema, no entanto, não evita que, de quando em vez - principalmente nas categorias de base -, vc seja atingido por um concorrente desastrado e que, por uma grande infelicidade, cometeu um erro ao seu lado). Para jogá-lo, tem-se que pagar uma taxa mensal, mas não é das mais caras (creio que fica em torno de dez reais por mês). Fica aí a dica!

    ResponderExcluir