6 de abril de 2014

Bar... Hein? [3]

Que corrida, amigos! Que corrida! O GP de número 900 da categoria foi emocionante como há tempos eu não via. Sério! E o que é mais curioso: no Bahrein! Hamilton venceu de forma fantástica, pela segunda vez no ano. Foi a 24ª vitória da carreira - a segunda consecutiva - e o inglês desbancou Piquet nas estatísticas, e empatou com Fangio, como 10º maior vencedor da história.

Na largada, Hamilton despachou Rosberguinho ainda nos primeiros metros, e Massa pulou da 4ª fila para a terceira posição ainda na primeira curva, deixando pra trás o companheiro Bottas, além de Pérez, Räikkönen e Button. Ali, mostrou que tem condições de lutar de igual para igual com o endiabrado companheiro. Não será fácil, claro. Terá de ser aos poucos, com performances como a de hoje.



A partir daí, Rosberg e Hamilton fizeram uma corrida à parte, andando loucamente e abrindo cerca de 1s por volta em relação ao resto.

Lá atrás, Massa suava para se segurar à frente dos forceíndicos Hulkenberg e Pérez. Atrás deles, ainda tinha o Bottas, babando. Todos esses na mesma balada. Na 12ª volta, Pérez passou, e Massa - já sem pneus - aproveitou para fazer a primeira parada.

Com a turma fazendo suas paradas, os holofotes se voltaram para a dupla da Mercedes. Na volta 18, Rosberg tentou o bote pra cima de Hamilton, que conseguiu se segurar. Foram duas voltas de gato e rato, mas com muito respeito,e no limite. Coisa linda de se ver...

Rosberguinho não passou. Ou passou, não lembro. Na volta seguinte, na 20ª portanto, Hamilton fez sua parada e colocou pneus macios. Rosberg parou duas voltas depois, e colocou pneus de faixa branca, ou, duros. Daí em diante, Hamilton andou feito alucinado. Precisava abrir vantagem o suficiente para quando colocasse ele os pneus de pau, e Rosberg os de chiclete.

Aí apareceu Maldonado...

Excitado por andar entre os 20 primeiros com a carroça preta e dourada, esqueceu da freada na curva 1 e acertou Gutierros, que acabou capotando. A porrada custou 3 pontos na carteira do venezuelano, um Stop & Go de 10 segundos, e um puxão de orelhas de Hugo Chávez, em pessoa, de novo enrolado na bandeira da Venezuela. Teve também a perda de 5 posições no grid da China, o que me leva a crer que ele deve largar na GP2.



Enfim, como o carro da Sauber ficou esculhambado no meio da pista, tivemos Safety Car na pista, e um momento dos mais inusitados em toda história: pela primeira vez desde 1950 o Safety Car fazia mais barulho do que os carros que o comboiavam.

Assustador, até.

Essa entrada fodeu principalmente a corrida de Massa e Bottas, que tinham acabado de fazer suas paradas, e teriam as 10 voltas finais para remar tudo de novo. Além disso, lá na frente, Hamilton - que tinha um caminhão de vantagem - teria de se segurar à frente de Rosberg, com pneus macios, teoricamente 1 s mais rápidos.

"- A casa caiu! A casa caiu!" gritavam durante a transmissão.

Não caiu.

Antes da relargada, Paddy Lowe entrou no rádio de ambos os mercêdicos, Lewis e Nico, para dizer: "ok, vamos ganhar. Por favor, não façam merda". Rosberg respondeu com um simples "ok", Lewis nem isso. Quando o Safety Car saiu, Rosberguinho saiu com o pau na mão atrás do companheiro. Pady Lowe então tirou os fones e saiu correndo para se trancar no banheiro da Mercedes...

Na pista, a coisa pegou fogo. Ainda sem DRS, Rosberg tentou, mas tomou o 'Xis'. Nas voltas seguintes, já com DRS, tentou de novo, e de novo tomou o troco. Este foi o enredo até o fim: Rosberg babando, tentando de todas as formas passar, e Hamilton se segurando como podia. Briga lindíssima entre companheiros de alto nível. De prender a respiração, mesmo.



Foi a vitória mais fantástica da carreira de Lewis, segurando o companheiro com um carro igualmente rápido, mas com pneus que teoricamente eram 1s mais velozes do que os seus. Aliás, por mais que Rosberg seja um ótimo piloto, e é, o talento de Hamilton sobressai nesses momentos.

Em terceiro chegou Pérez, de Force India, seguido de Riccardão (que corrida a desse rapaz, com direito a passão em Vettel, que gritava loucamente "Multi 12! Multi 12!" pelo rádio), Hulkenberg, Vettel, Massa, Bottas, Alonso e Räikkönen.

Daqui a duas semanas tem China.

Um comentário:

  1. A meu ver, Hamiltou operou dois grandes feitos: segurou o Rosbife (que vinha com pneus macios) e deu mais emoção à corrida.

    Outra coisa: nada contra o Vettel, mas ver o tetracampeão tomar uma ultrapassagem de um "pirralho" foi bonito.

    A propósito, as equipes Mercedes e Red Bull estão de parabéns, deixaram os pilotos brigarem na pista e proporcionaram um espetáculo bonito para o público (coisa rara na formula 1 atual).

    ResponderExcluir