3 de abril de 2014

Malasianas virtuais [2]

(Ah, Kobayashi...) Sábado foi dia de etapa virtual no clube que participo, o F1BC. Como é de praxe, um pouquinho da minha corrida. Como é de praxe também, desastrosa. Mas dessa vez eu juro que não foi culpa minha...



Fiz uma classificação desastrosa. Como estava chovendo, pouca coisa, resolvi esperar a pista seca um pouco e sair para as duas voltas rápidas só no final. Nesse meio tempo, acompanhando a tabela de tempos, deu pra ver que eu tinha carro para conseguir uma posição entre os 10 primeiros. Ao menos nos treinos eu tinha. 

Detalhe: pouco antes da etapa eu desconfigurei o setup que eu demorei dias para desenvolver. Todo o ajuste de asa, distribuição de peso, relação de marchas... Foi pras cucuias. Ou seja, eu iria correr com um carro desconhecido em desgaste e desempenho.

Enfim, rodei nas minhas duas tentativas e não marquei tempo. Como teve gente que nem foi pra pista, o prejuízo não foi dos maiores. P18, e largada do lado sujo da pista.

E que largada a minha, viu?! Digna de Fernando Alonso nos seus melhores dias. Lado interno na primeira perna e lado de fora na segunda, com direito a ultrapassagem dupla ainda no primeiro setor. Ali, senti que ainda tinha um carro bom, com baixo desgaste, e capaz de me divertir durante a corrida. Fechei a primeira volta em 14º, colado no Diego Jacometti, na Daniele Ferraz e no William Cairo.

Despachei o Jacometti ainda no caracol, na abertura da segunda volta, e parti pra cima do pelotão...

Começou a chover ainda na volta 2. Mas, como eu havia treinado bastante sob chuva e estava de pneus médios (os mais macios da etapa), dei de ombros e continuei tocando da mesma maneira. No final da segunda volta, na última curva, estava embutido na Danielle Ferraz, para passar na reta oposta, do mesmo jeito que fiz na volta anterior. Mas acabei escorregando na freada e perdendo um tempinho...

Errei de novo na curva 1, e com isso o Jacometti me passou. O Daltton, meu companheiro, quase foi no embalo também. Mas no primeiro setor da terceira volta eu devolvi a ultrapassagem, com a faca nos dentes, debaixo de chuva. Coisa linda de manobra.

Aí...

Quando eu já tinha despachado Jacometti & Cia. e estava com a Danielle Ferraz na alça de mira de novo, só tive tempo de ver o carro do Daltton crescendo no retrovisor... Não deu tempo de tirar. E acho que nem dava. Só pensei: "Fodeu!".

E fodeu, mesmo.

O toque em si não destruiu meu carro, mas acabei rodando sozinho tentando voltar à pista e com isso o Anderson Soares - outro companheiro de MidiaSom - acabou me acertando. Uma confusão dos infernos que acabou com o meu carro todo torto, e o Anderson sem asa traseira. Uma pena.

Daí pra frente me desconcentrei, a chuva aumentou, rodei umas 352752 vezes e a estratégia foi pro caralho, com uma parada extra para acertar o carro e trocar pneus ainda na terceira volta.

Ainda tive bons duelos com o Jacometti o que de certa forma valeu pela diversão. Dos carros da nossa equipe, quem se deu melhor foi o Anderson Soares, o que mais saiu prejudicado naquela confusão do início, com um bom P13, nos pontos. Eu fechei em P17, o Aldemir Rella em P21 e o Daltton, que abandonou, fechou em P23.

Nenhum comentário:

Postar um comentário