19 de maio de 2014

Jack Brabham (1926 - 2014)

Triste a notícia do falecimento de Jack Brabham, ontem, aos 88 anos.

Por mais que tentemos nos acostumar com a perda, ver um dos maiores nomes do esporte que tanto amamos nos deixar é algo, no mínimo, triste. Ainda mais quando vemos a categoria definhar mais e mais a cada temporada...

Costumo pensar que as corridas lá em cima estão cada dia melhores!

Mesmo eu não acreditando no "lá em cima"...

Enfim.

Jack, um ex-mecânico da força aérea, foi o precursor do automobilismo na Austrália. E sem ele, talvez não tivéssemos visto pilotos como Alan Jones, Mark Webber e Daniel Ricciardo na categoria máxima.

Até mesmo Bruce McLaren veio depois.

Brabham estreou na temporada de 1955, correndo pela modesta Cooper, e a primeira vitória só viria quatro anos depois, na abertura da temporada de 1959, em Mônaco.

Na última etapa daquele ano - que ficaria marcado pelo seu primeiro título - protagonizou uma das cenas mais marcantes da sua carreira, e, talvez, uma das mais emblemáticas de toda a história da Fórmula 1.

Em Sebring, cruzou a linha em 4º lugar... Empurrando o carro!


Em 1962, já com dois títulos conquistados, iniciou a aventura de construir seu próprio carro...

Nascia ali a equipe Brabham.



Foram cinco anos sem vitórias, para, em 1966, conseguir um feito até hoje único: Black Jack faturou o terceiro título mundial com o seu próprio carro! Correndo pela sua própria equipe.

No ano seguinte, tentou repetir a façanha, mas conseguiu apenas o vice campeonato. Mesmo assim, viu o nome Brabham triunfar novamente. Dessa vez com Denny Hulme, seu companheiro de equipe, campeão de 1967.

Jack se retirou das pistas em 1970, mas ainda viu o nome Brabham triunfar em 1981 e 1983, com Nelson Piquet, quando a equipe já era administrada por Bernie Ecclestone.

Grande Black Jack!

Conquistar três títulos mundiais, e ver seu carro conquistar três mundiais de construtores e mais três títulos de pilotos não é para qualquer um...

Não mesmo!


Um comentário: