27 de julho de 2014

Mogyorodicas (2)

Foi uma classificação interessante, essa de Hungaroring. Interessante, porque teve fogo, zebras, intrigas e até porradas. Quando tem porrada é sempre legal. Piquet estava certo quando disse que a turma vai em autódromos para ver gente se esborrachar. Eu vou para ver a corrida, mesmo, mas ver gente se esborrachando é legal, confesso. É a essência do automobilismo. Aqueles loucos andando rápido com o risco de bater e nunca mais voltar pra casa. Se não é isso que acontece hoje em dia, tem alguma coisa muito errada.

Mas, falemos do treino.

Com apenas 5 minutos de pista livre, Hamilton apareceu com o carro em chamas. É a segunda vez consecutiva que Lewis sofre com problemas mecânicos na classificação. Na semana passada, em Hockenheim, teve problemas de freios e se esborrachou na barreira de pneus. Largou no fundão e, como a pista era relativamente fácil de ultrapassar (e ele ainda tem um mercedão nas mãos) conseguiu escalar o pelotão e beliscar um pódio.

Amanhã não vai ser tão fácil. Lewis sem dúvida fará um corridão. Afinal, tem carro e talento pra isso. Mas Hungaroring é um pista apertada e difícil de passar, mesmo com motor Mercedes, DRS, KERS e o escambau. Pensar em um pódio nesse momento é ser otimista demais.

Esclarecido o passado, presente e futuro de Hamilton, falemos de outro desafortunado no treino de hoje: Räikkönen. E começo dizendo que admiro o finlandês, mesmo, por não ter abandonado a porra toda ainda. Além de estar tomando uma surra de Alonso (97 a 19) ainda tem de sofrer com atitudes de uma Ferrari que muitas vezes se parece com uma equipe de iniciantes. 

Explico.

Hoje, nos minutos finais do Q1, Kimi era o 16º, somente à frente das nanicas, do supracitado Hamilton e seu carro chamuscado e de Maldonado (que também parou logo no início, com problemas). Ou seja, tudo tranquilo, tudo lindo, tudo beleza. Só que não. A Ferrari ahou que não precisava mandar o finlandês para a pista garantir tempo, e a Marussi tentou o pulo do gato com Bianchi. Conseguiu. O nanico passou para o Q2 e fodeu com a vida de Räikkönen. 

Sim, com o perdão da palavra fodeu mesmo. Porque se Hamilton, de Mercedes, não vai ter moleza saindo lá de trás, que dirá Räikkönen, com a carroça e motivação que tem tido ultimamente.

O Q2 não teve grandes emoções e/ou zebras. POrtanto não vou perder tempo falando dele. No fim, foram limados - e portanto impedidos de aparecer na transmissão global - Kvyat, Sutil, Pérez, Gutiérrez, Grosjean e Bianchi.

O Q3 começou com chuva (eu disse que iria chover!), e ainda que não fosse aquela chuva que parece que o mundo vai acabar, molhou o suficiente para pregar peça em alguns. Rosberguinho, o primeiro a abrir volta, passou reto na curva 1, mas conseguiu evitar um acidente. Magnussen junior veio logo depois e não teve a mesma sorte: se esborrachou na barreira de pneus. Uma porrada forte, que gerou bandeira vermelha ainda nos primeiros minutos da sessão.

Depois, a pista secou e deu o óbvio. Rosberg enfiando uma trolha de 0s486 em Vettel, o segundo. Depois aparecem Bottas em terceiro (vai pro pódio, de novo!) seguido de Ricciardo Ricardo, Alonso, Massa, Button, Vergne, Hulkenberg e Magnussen. Sendo que esse último deve largar dos boxes, por causa da porrada.



Nenhum comentário:

Postar um comentário