6 de julho de 2014

Silvas & Stones (2)

(Ah, meu bolão...) Costumo falar por aqui de vez em quando que grandes pistas proporcionam grandes corridas. Ou, pistas de verdade proporcionam corridas do caralho. Ou, pistas do caralho proporcionam corridas de verdade... Algo assim. Não estou com tempo de procurar. O fato é que hoje, em Silverstone, vimos uma corrida de verdade. Ou do caralho, como queiram.

Na largada, Massa ficou empacado com problemas na embreagem. E quando conseguiu finalmente engatar uma marcha e sair, passou um, dois... e encontrou Kimi voltando à pista destruído, depois de escapar na curva 5, bater no guard rail e voltar para o meio da pista. Massa montou nos freios, conseguiu não partir Räikkönen ao meio, mas a Williams rodou e a roda traseira acertou a Ferrari do finlandês. Destruiu pneu, roda, suspensão, assoalho... Tudo. 

Massa ainda tentou levar o carro para os boxes. Afinal, era bandeira vermelha e se a coisa não fosse muito séria, dava tempo de acertar o carro e largar de novo. Não deu. A Williams constatou PT e o brasileiro não deu nem meia volta no seu GP de número 200. Uma pena.

Largar no pelotão da merda é isso... Sempre dá merda. Que a equipe aprenda.


Depois da longa interrupção para recuperar o guard rail destruído por Räikkönen, a corrida recomeçou, atrás do Safety Car. Hamilton, que relargou em 4º, não demorou para jantar Button e Magnussen junior e comboiar Rosberg.  Estava mais rápido, parou depois, mas o duelo não chegou a acontecer porque Rosberg abandonou antes, com o câmbio travado em 5ª marcha, lá pela volta 30.

Com a quebra do companheiro, a vitória caiu no colo de Hamilton. E com 40s lá na frente, o destaque da corrida passou a ser a turma que vinha atrás. 

Literalmente. Bottas, 14º no grid, estava em 9º na relargada e com o abandono de Rosberg apareceu em 2º. Milagre? Não. O garoto da Williams já pode ser considerado "outro" finlandês voador (o quarto, acho, não?). Desde que a corrida recomeçou, saiu jantando todo mundo que viu pela frente, por dentro, por fora... Era chegar e passar. Simples assim.

Outro que deu show lá na meiúca foi Alonso. Falem o que quiserem, mas o espanhol pilota um carro de Fórmula 1 como poucos do grid atual, e se não ganhou um campeonato pela Ferrari ainda, a culpa é unicamente da equipe, que só lhe deu carroças até agora... 

E, se não dá pra ganhar corrida com carroças, pelo menos o cara se diverte, fato. Hoje foi um desses dias. Por 10 voltas, duelou quase até a morte com Vettel. E mais: além de tocarem roda com roda várias vezes, ao mesmo tempo se xingavam pelo rádio. Uma coisa ao mesmo tempo linda e escrota de se ver. Linda pela batalha na pista, escrota pelo mimimi no rádio, de ambas as partes.



Se eu pudesse escolher uma, apenas uma mudança na categoria, eu proibiria os rádios. Toda comunicação deveria ser feita por plaquinhas de box por parte da equipe e gestos com as mãos por parte dos pilotos. Só.

Bom...

Resumindo, foi o que valeu na corrida de hoje. A porrada de Kimi, o azar de Massa, a corridaça de Bottas, a sorte virando de lado (finalmente) na Mercedes e Alonso e Vettel tocando rodas na pista pelo 5º lugar. Esqueci de algo?

Hamilton venceu pela 5ª vez no ano e 27ª vez na carreira. De quebra, com o abandono do companheiro, reduziu para 4 pontos a diferença no campeonato, que está 100% aberto. Se nenhum dos dois se aposentar até lá, será assim até a última corrida. Completaram o pódio Bottas voador e Ricciardo Ricardo, seguidos de Button (digam: de ONDE ele saiu?), Vettel, Alonso, Magnussen, Hulkenberg, Kviat e Vergne.

Foi isso, acho. Teve mais alguma coisa? Contem aí.

Um comentário:

  1. Quando o Massa disse que viria lá de trás atropelando todo mundo eu pensei em outra coisa.

    ResponderExcluir