7 de setembro de 2014

Em itálico (2)

(Título ruim, texto ruim) E Hamilton jantou Rosberguinho com batatas hoje, em Monza, como eu já havia dito que aconteceria. Mas, do contrário do que todos esperavam - e torciam, e me incluo nesses - os dois não se encontraram na pista. Ou quase isso. Hamilton se aproveitou de um erro do alemão para passar. Erro esse causado pelo próprio Hamilton, que vinha babando lá de trás, onde foi parar depois de ficar empacado na largada.

Estão dizendo por aí que o erro de Rosberg foi "proposital" para que Hamilton vencesse. Achei estranho, confesso. Errou duas vezes, no mesmo ponto e tal, e depois de perder a posição nem esboçou uma aproximação... Sei lá. Mas na minha humilde opinião, Lauda jamais toleraria que a equipe armasse um troço desses. Nem Toto Wolff.



Vai render isso, ainda.

Mas, voltando à corrida, outro piloto que se deu mal na largada foi Bottas. O finlandês despencou de 4º para 11º e novamente foi o nome da corrida. Passou quem vise pela frente, e do jeito que quis. Por dentro, por fora... O carro ajuda, claro, mas o garoto está fazendo a parte dele. Minha aposta é que em 2016 ele senta n'uma equipe de ponta (que, claro, pode ser a Williams mesmo, por que não?).

Quem fez um corridão também foi Riccardão. Em dado momento, espreitava (putz, confessem: que frase foda!) a briga entre Button e Pérez logo na sua frente. O inglês, de aviso prévio, tentava deixar seu desafeto de 2013 pra trás, mas esqueceu que Pérez, apesar de não estar mais sentado n'uma McLaren (que até certo ponto é bom pra ele), também é empurrado pelos mercedões de outro mundo. Riccardão, que não tem mercedão mas não é bobo, aproveitou um vacilo de Button para jantá-lo na Del Rittifilo. Logo depois passou também por Pérez e deixou os dois se batendo pra trás. 

Foi bonita, a briga. Button passou, mas tomou o troco do mexicano e sossegou o facho.

Ainda falando de Riccardão, o australiano ainda foi buscar Vettel, já sem pneus (sem auto-estima, sem vontade, sem velocidade, sem nada...) para assumir o quinto lugar, e terminar a prova atrás apenas dos mercêdicos e dos martinis. Outro fenômeno, esse garoto.

O resto vai em tópicos, mesmo, porque não foi tanta coisa assim.

- Vi gente falando por aí que Massa teve uma corrida "fácil" demais. Fácil porque o cara largou bem, ora bolas. Se Bottas tivesse largado bem teria feito uma corrida solitária também. "Fácil". A Williams não tem carro pra acompanhar as Mercedes, mas sobram em relação ao resto. Fim.

- O cara que convenceu Alonso a ficar na Ferrari é o maior sacana do mundo. Convencer o cara a passar outra temporada com um carro capenga é dose. O espanhol abandonou hoje em Monza. Estava em 10º. Em DÉCIMO! Alonso, de Ferrari, em Monza. Fiasco define.



- Ainda falando de Ferrari, a turma de Maranello foi despachada pela Williams no Mundial de Construtores. Era algo esperado. A tendência agora é que os martinis abram e partam em busca da Red Bull. Vão chegar, claro, e passar. Espero.

- Magnussen júnior foi punido com 5s por defender-se de Bottas. Só! Não mudou a linha, não espremeu ninguém, não causou um acidente... Quem era o piloto convidado para atuar como comissário hoje?

- Räikkönen terminou a corrida nos pontos e eu sequer vi o carro dele hoje. O mesmo cara que convenceu Alonso a ficar deve ter convencido a equipe a ficar com o finlandês. A desculpa? "Räikkönen não se adaptou aos pneus desse ano". A minha pergunta: mas eles não são de borracha, como todos os outros?

Enfim.

O resto da corrida, em detalhes, está lá no Motrodrome. Vale uma visitinha, claro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário