17 de setembro de 2014

Meu dia de Maldonado

Corrida em Cingapura é uma merda! Eu particularmente odeio. Começa pelo fato que eu não sei se é Cingapura ou Singapura. Ou os dois. Depois, por ser à noite, por ser um circuito de rua e ter um monte de faixas pintadas no asfalto... E por ser rápida. Sim, eu gosto de Mônaco justamente pelo contrário. O risco é consideravelmente menor. Mas em Cingapura (ou Singapura) há pelo menos dois pontos de pau dentro e pé embaixo (a saber: na "reta curva" que fecha o primeiro setor e o retão que que divide o segundo e terceiro setores), isso sem contar a reta dos boxes, que é curtinha, mas é uma reta e termina n'uma curva meio esquisita.

Explicado o meu asco pelo circuito, falemos da minha corrida, que abriu a terceira temporada da Fórmula Light do clube F1BC no sábado passado.

Treinei pouco. E optei por não fazer classificação quando vi que a corrida provavelmente seria com chuva. Como o desgaste dos pneus da classificação é acumulado para a corrida e esta seria com chuva, era a chance de arriscar algo diferente. Uma parada a menos, talvez.

Assim foi feito. Mesmo com a pista molhada e uma chuva leve, larguei com pneus soft na expectativa de que a chuva parasse e eu me desse bem. Até certo ponto a tática funcionou. A chuva não parou e eu - que tinha largado em 12º - cheguei a ocupar a 8ª posição com certa folga. Só que aí a água aumentou e eu não consegui segurar a turma que tinha largado com intermediários. Além da reza deles ser mais forte, eles eram mais rápidos também.



Por conta de uma escapada que me fez perder o bico do carro, aproveitei para antecipar minha parada e enfiar os intermediários ainda na quinta volta, se não me engano. Foi o maior erro da minha vida. Bastou eu sair dos boxes para a chuva diminuir... E, enquanto todos paravam para colocar os pneus de pista seca eu passeava - lento lento - de intermediários.

Aprendi táticas de corrida com a Ferrari. Paciência...

A partir daí foi horrível. Esperei os intermediários acabarem para trocar de novo (dessa vez pelos supersoft, mesmo sabendo que teria de parar de novo) e na volta de entrada, rodei e perdi o bico. Sim, de novo. E não foi só: na entrada dos pits - já puto da vida - liguei o limitador tarde demais e ultrapassei o limite de velocidade permitido. Resultado? Dive Trough que paguei na volta seguinte.

A partir daí, com a corrida já jogada no lixo, voltei a me concentrar e virei até bem. Mas já era tarde demais. Tinha perdido, sei lá, uns 3 minutos só em erros (fora as voltas mais lento pela escolha errada de pneus). No final, um bom P8 dentre os 14 que largaram. O Aldemir Rella foi P9, e ajudou a somar uns pontinhos pra equipe.

Felizmente a próxima é em um circuito de verdade, que eu gosto pacas. Aliás, quem não gosta de Suzuka?! Lá, se ninguém largar na minha frente ou me ultrapassar, eu ganho. Prometo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário