26 de outubro de 2014

Em Austin

(Vou pintar um alvo no meu carro) Ontem foi dia de mais uma etapa virtual da Fórmula Light do clube F1BC. Corremos em Austin, no Texas, uma vez que seguimos o calendário da Fórmula 1 real. Mesmo sendo uma "obra tilkeana", o circuito é um dos mais bacanas da temporada, mesclando trechos que lembram os circuitos de Spa, Suzuka e Turquia. Eu não me dou muito bem com ele não, mas aí é questão de gosto... A pista é legal.

Falemos da corrida.

Como os pneus se deterioravam depois de poucas voltas e a temperatura da pista ainda estava nas alturas, não fiz voltas de classificação, com o intuito de poupar pneus quando a coisa fosse pra valer. Além do mais, não estava rápido o suficiente para brigar por uma melhor posição no grid, e acabaria só gastando borracha para largar mais ou menos no mesmo lugar. 

Larguei em P12, com os meus companheiros de equipe Aldemir Rella e Anderson Soares logo atrás de mim, em P13 e P14. A largada foi limpa, sem nenhum incidente naquela primeira curva dos infernos; em subida, cega, um horror...

Passei dois, acho, e no final da reta oposta fui ultrapassado pelo André Kimi. Mas na sequência seguinte consegui devolver a ultrapassagem em uma manobra fantástica, lindíssima (vocês vão ver aí embaixo, aos 1m28 do vídeo)... "Do caralho", como dizem. Fechei a primeira volta em P8, com ele colado no meu aerofólio. Na freada para a curva 1 (como era de se esperar) fui atropelado, rodei e vi o mundo ao contrário.

O toque - que corretamente rendeu um Drive Trough para ele - não danificou o carro, mas fez com que eu perdesse algumas posições importantes, e me distanciou dos primeiros colocados (algo fatal em uma corrida com apenas 50 minutos). Daí em diante minha corrida se resumiu a uma intensa batalha com o Binho Zanetti, que durou algumas voltas. Foi divertido. Muitas ultrapassagens, curvas lado a lado, Xis, e, por incrível que pareça, nenhum toque. Nenhum mesmo! Nem mesmo uma espalhada "na sacanagem"... Coisa difícil de ver naquele grid. Tá no vídeo aí embaixo também.

Como consegui poupar os pneus (não tinha classificado, lembram?) os ponteiros pararam antes de mim, e voltaram atrás. Entre eles estava o Carlos Verri, que assim como André Kimi fez, me ultrapassou depois de um toque que me fez rodar. Fica claro no vídeo aí embaixo, a partir dos 9m50.


Pedi punição em contato direto com a direção de prova que divulgou a mensagem de "nenhuma ação tomada", contrariando o item do regulamento que reproduzo abaixo, na íntegra (o sublinhado é por minha conta):
14.2 Infrações Médias: Aplicações 
Durante a corrida = Drive Through
Pós-corrida (a quem completou) = +20s no tempo final de prova
Pós-corrida (a quem abandonou) = +20s no tempo final de prova + perda de 10pos no grid seguinte 
14.2.1 Gerar contato, ou retorno perigoso, ou bloquear, ou forçar um carro para fora da pista causando perda significativa ou sem devolução imediata de posição ao adversário prejudicado. Em caso de danos que obriguem reparo imediato ou o abandono do adversário, a aplicação será nos itens de gravidade seguintes.

Ou seja, o diretor até viu o que aconteceu (nisso acredito, pois o acidente foi informado como "em investigação"), mas preferiu fazer vista grossa apenas porque o citado piloto disputava o pódio, como de fato conseguiu. Injustamente, mas conseguiu.

Terminei em um modesto P9, com meus companheiros logo na sequência, em P10 e P11. Poderia ser um pouco melhor. Paciência. Segue o barco...

Nenhum comentário:

Postar um comentário