16 de outubro de 2014

Pequena grande





Um pouquinho da equipe March e sua inconfundível pintura azul claro, adotada no final do anos 80...

Eram bonitos, os danados!

Um detalhe.

Essa última foto é na Hungria, em 1991, quando a equipe se chamava Leyton House Racing.

Uma aventura de Akira Akagi que durou dois anos...

Na temporada seguinte, novamente sob o nome de March, Karl Wendlinger conquistaria os últimos pontos da história da equipe, com o 4º lugar obtido no GP do Canadá.

Mesmo se preparando para 1993, a March acabou falindo antes da temporada começar.

Uma pena.

Chegava ao fim a história da equipe que tinha em seu nome um pequeno "acróstico" (poema feito com a primeira letra de cada palavra) formado pelas iniciais de seus fundadores.

A saber.

Max Mosley, Alan Rees, Graham Coaker e Robin Herd.

Ao todo foram 207 Grandes Prêmios disputados (175 como March e 32 como Leyton House), três vitórias, quatro pole-positions e sete voltas mais rápidas.

Uma legítima "pequena grande".

4 comentários:

  1. Uma aventura chamada lavagem de dinheiro do jovem Akagi.

    ResponderExcluir
  2. E ainda por cima pintava os carros bem bonitos.

    ResponderExcluir
  3. Essa idéia do acróstico teria sido de Alan Rees?

    Além da March, ela - a idéia - foi utilizada em outra equipe com a participação de Rees.

    No final de 1977, uma turma saiu da Shadow de Don Nichols para formar a Arrows, cujo nome também é um acróstico.

    Franco Ambrosio
    Alan Rees
    Jackie Oliver
    Dave Wass
    Tony Southgate

    E acrescentaram mais um 'R' para completar a palavra - e nome da equipe - ARROWS.


    um abraço,
    Renato Breder

    ResponderExcluir