13 de novembro de 2014

20 anos de Adelaide, 1994


Hoje completam-se exatos 20 anos do primeiro título de Schumacher, em 1994; n'uma temporada marcada pelas mortes de Senna e Ratzenberger, e pelo início da rivalidade entre Schumacher e Hill, que continuaria pelo menos nos dois anos seguintes.

O lance que decidiu o campeonato em favor de Schumi aconteceu na volta 35 da etapa final da temporada, em Adelaide. Mansell (com o carro de Senna) foi pole, mas Schumacher (o segundo) e Hill passaram o Leão ainda na largada e faziam uma corrida à parte, quando Schumacher saiu da pista, e voltou lento, com o carro completamente torto - mas ainda na liderança.

Hill ia passar, claro, e era bem provável que Schumacher sequer conseguisse chegar até o final com a Benetton capenga do jeito que estava. Mas o inglês tentou passar de qualquer jeito, de bate e pronto. Bateu! E, pronto... Scumacher abandonou na hora. Hill até chegou aos boxes, mas também abandonou, com a suspensão da Williams avariada. 

Como Schumi tinha vantagem no campeonato (1 miserável ponto), acabou levando a taça...

Sujeira? Não vou entrar nesse mérito. Afinal, quantos não foram sujos para vencer um mundial? Vamos lá, vocês sabem... E mais: como eu disse aí em cima, se teve alguém que assumiu riscos desnecessários, esse alguém foi Hill - assim como Senna, em 1989. Estava mais rápido, ia passar, e mesmo sabendo que podia dar merda, tentou. 

Enfim.

Deve-se levar em consideração o fato de que Schumacher foi suspenso das etapas da Itália e de Portugal, por não cumprir um Stop & Go em Silverstone - etapa vencida por Hill. Em Spa, o alemão teve a vitória cassada devido à irregularidades no desgaste do assoalho de madeira. 

Ou seja, méritos dele, que conseguiu vencer um mundial tendo 3 corridas a menos para pontuar - fora o segundo lugar em Barcelona, quando deu 42 voltas com o câmbio travado na 5ª marcha. 

"- Ah, Jaime, mas a Benetton era toda irregular" - dirão uns chatos aí.

Ok, concordo. Mas me provem que a Williams e outras equipes não eram também. Ou vocês acham que o carro "cagado" que Senna tanto reclamou nas três primeiras corridas melhorou a ponto de brigar pelo título por conta de uma varinha do Harry Potter?

Bobinhos, vocês...


3 comentários:

  1. Me lembro como se fosse ontem, há exatos 20 anos. Ainda nos meus 8 anos de idade, duas tragédias apenas no mês de Maio, uma logo de cara, o então ídolo, herói, super herói que morria na bucólica Ímola, a outra meu amor de família (meu Pai teve um grave AVC).

    Desde as minhas primeiras memórias de um Mansell na Williams até os dias atuais essa é a temporada que mais me marcou, e que me intriga até hoje. Era vale tudo...

    Existe isenção de culpa em ser "mais" ou "menos" trapaceiro?

    A Benetton podia fazer uso de assistência eletrônica para alterar sua performance, mas como você bem disse, quem garante que o eixo traseiro em forma de asa no FW16 da Williams não fosse parte da mesma brincadeira?

    Schumacher está na história, indiscutível. Mas nunca deveríamos nos esquecer de Flavio Briatore, porque ele foi o tutor, e a formação recebida pelo alemão na Benetton ele levou pra Maranello.

    ResponderExcluir
  2. Comparando com os padrões atuais, como era lindo esse multicolorido B194...

    ResponderExcluir