22 de novembro de 2014

Abu-bus (1)


Deu Rosberguinho na classificação abudhábica, hoje, no circuito internacional Jenson Button (cortesia do Ron Groo, pelo Twitter). Como era de se esperar, a tomada de tempos foi chata, sem graça e previsível. Mercêdicos fazendo 1-2, seguidos pelos martinis (estes, já de luneta) e depois o resto...

Amanhã não vai ser diferente. O circuito é ruim (ruim mesmo! Talvez o pior dos tikódromos), as áreas de escape são gigantescas, e se bobear nem Safety Car vai ter. Não se iludam. O thriller que está se desenhando em torno da disputa entre Lewis e Nico pode ser emocionante, sim, mas mereci um palco melhor.

Falando em título...

Rosberg fez a parte dele. Andou rápido quando precisou, cravou a pole, enquanto Hamilton... Errou! Na primeira tentativa no Q3, abusou na penúltima curva e perdeu o ponto de frenagem da última curva. Adeus tempo (e pneu!). O inglês até tentou de novo, mas ao contrário de Rosberguinho, não conseguiu melhorar seu tempo. 

Até aí "ok"; larga em segundo - o que é suficiente para o título, em caso de vitória de Rosberg. Para Hamilton, basta largar e chegar onde está para ser campeão. Se chegar mais para trás, aí depende de uma combinação de resultados, e de uma "não vitória" do rival.

Pode dar merda?

Sempre pode. Os pontos principais são a largada e o calor, que é forte naquelas bandas; vale lembrar que pela regra de cinco motores por temporada, ninguém chega para a prova final com um motor zerado. E uma quebra, na minha opinião (opinião, ok?), joga fora o trabalho de um ano inteiro, e de certa forma mancha a temporada fantástica da Mercedes.

Não que Rosberg não mereça, não é isso...


Nenhum comentário:

Postar um comentário