5 de janeiro de 2015

Beltoise, 77

Assim como John Surtees, Jean-Pierre Beltoise iniciou no automobilismo depois de uma carreira vitoriosa nas motos. Em apenas 3 anos, o francês conquistou nada menos do que 11 títulos nacionais...

Estreou na Fórmula 1 em 1967, defendendo as cores da Matra, pela qual também correu a F2 o ano anterior. No ano seguinte, em 1968, veio o primeiro dos seus 8 pódios: em Zandvoort, na Holanda.

Mas, mesmo sendo considerado um piloto versátil, Beltoise teve sua carreira marcada por inúmeros acidentes

O mais lembrado - e triste - talvez seja o incidente nos 1.000 km de Buenos Aires de 1971, que vitimou o italiano Ignazio Giunti.



Beltoise, sem combustível, estava empurrando o seu Matra 660 pela pista...

(algo totalmente inimaginável nos dias de hoje)

Quando Giunti - que tentava ultrapassar um outro carro - se deu conta, já era tarde demais. O forte impacto na traseira do Matra praticamente parado e as chamas na Ferrari 312PB não deram chance ao italiano, que morreu no hospital poucas horas depois, com 70% do seu corpo queimado.

Tem vídeo da porrada, aqui!

Beltoise foi considerado culpado pelo acidente, e teve sua superlicença cassada por 6 meses.

No ano seguinte, voltou à Fórmula 1 pela decadente BRM, e em um chuvoso GP de Mônaco conseguiu a sua primeira e única vitória na categoria.

O ponto alto da carreira.

Curiosamente, esta foi também a última vitória da BRM, e a única vez naquele ano em que Beltoise pontuou.

Dizem que a chuva torrencial e a baixa velocidade do circuito monegasco o favoreceram, pois com o menor esforço físico ele podia pilotar sem que as inúmeras fraturas que acumulou o atrapalhassem.

Vai saber...

1974 foi o último ano de Beltoise como piloto regular de Fórmula 1. Daí em diante, passou a fazer apenas aparições esporádicas pela Ligier, além de se dedicar aos carros de turismo e às provas de Rallycross.

Se foi hoje um dos últimos pilotos da era romântica da Fórmula 1, que encarava a categoria quase que de forma poética.

Au revoir, Beltoise.


Nenhum comentário:

Postar um comentário