24 de fevereiro de 2015

Parabéns, professor!



Não, ele não foi só o "rival de Senna".

Embora não dê para falar de um sem citar o outro, o francês foi mais do que isso... 

Muito mais!

Logo na sua estréia (em 1980, pela Renault), desbancou o veloz René Arnoux. Quatro anos mais tarde, já na McLaren, disputou o título com Niki Lauda (seu companheiro de equipe) até o fim do campeonato.

O título de 1984 ficou com Lauda.

Mas nos dois anos seguintes, quem levantou o caneco foi Prost.

Então veio 1988, um carro perfeito e Ayrton Senna.

Uma curiosidade daquele grid é que apenas Prost (2) e Piquet (3) tinham títulos.

Prost estava no auge!

E Senna nunca escondeu que bater o francês era a sua principal meta...

Sua referência.

Como aquele ditado que diz que "quanto maior o prêmio, melhor se joga".

E era exatamente isso. Para ambos.

Senna ganhou em 88', 90' e 91', enquanto Prost faturou os campeonatos de 89' e 93' (este último, correndo pela Williams).

Costumo dizer que, talvez (e muito provavelmente), Senna não tivesse sido o fenômeno que foi se o desafio de ter Alain como companheiro não tivesse acontecido. Assim como é inegável que parte da grandiosidade de Prost deve-se ao fato de ter tido Senna como seu principal adversário.

Dois grandes pilotos que se completaram.


2 comentários:

  1. Ele era rápido, constante e tal... Mas no corpo a corpo não era dos melhores...
    E era chato... Mas tão chato que nem a Tamburello o quis.

    ResponderExcluir
  2. Uma correção atrasada no tempo: Prost estreou em 1980 sim, mas na McLaren. Em 1981 ele foi para Renault, e ai sim bateu com facilidade René Arnoux. Porém, em 1982, a briga ficou mais igual com 2 vitórias para cada um. Grande piloto!
    Ulisses Borges

    ResponderExcluir