20 de fevereiro de 2015

Ricardo Rodriguez

Para quem, como eu, se surpreende com um jovem Max Verstappen estrando na Fórmula 1 com apenas 19 anos, é meio surreal imaginar que os irmãos Ricardo e Pedro Rodriguez dividiram um OSCA 750 nas 24 Horas de Le Mans de 1959, quando tinham apenas 17 e 19 anos respectivamente.

No ano seguinte, com apenas 18 anos, Ricardo subiu ao pódio em Sarthe...

18 anos!

Logo, veio o convite de Enzo Ferrari para os irmãos mexicanos correrem pela Scuderia.

Pedro, mais velho, recusou.

Ricardo, mais jovem e mais veloz, aceitou, e participou do GP da Itália, ainda em 1961.

Estreou na última corrida em Monza onde foram utilizadas as curvas inclinadas - e que ficou marcada pela morte de Wolfgang Von Trips e mais 14 espectadores.

Com 19 anos, alinhou sua Ferrari em segundo lugar...

Na corrida, antes de abandonar, duelou com Phil Hill e Richard Ginther pela liderança.

Foi o seu cartão de visitas.



Em 1962, mesmo sem participar de todas as corridas (preservado pela Ferrari, devido à sua pouca idade) conseguiu um 4º lugar na Bélgica e um 6º lugar na Alemanha.

Spa-Francorchamps e Nürburgring...

Nada mal, não?

Além disso, o jovem mexicano levou a Ferrari à vitória na Targa Florio.

Enzo Ferrari sabia que tinha um diamante nas mãos.

"Jovem e veloz, Ricardo seria campeão mundial em breve"

Este era o sentimento de todos...

Na última etapa da temporada, no México (ainda uma corrida extra-campeonato), a Ferrari decidiu não participar, mas liberou Ricardo para correr em sua terra natal.

O carro escolhido foi um Lotus 24 da equipe de Rob Walker.

Ainda nos treinos, uma falha na suspensão traseira do Lotus fez com que o jovem mexicano perdesse o controle e batesse violentamente na barreira de pneus da temida curva Peraltada.

Com o impacto, seu corpo foi arremessado para longe do carro, indo de encontro ao guard rail.

Ricardo foi dilacerado.

Um horror!

Praticamente partido ao meio, seu corpo ficou estirado na pista com as vísceras de fora.

O carro, destruído.

Morte instantânea.

Ricardo tinha apenas 20 anos...

20 anos!

Sua morte causou comoção em todo o México, e o jovem recebeu todas as honras de um verdadeiro herói - inclusive do presidente do país à época, Adolfo López Mateos.

Seu irmão, Pedro, teria uma carreira mais longa e vitoriosa nos carros esporte, mas encontraria o mesmo fim (a morte nas pistas) 9 anos depois...

Um comentário:

  1. Caro Jaime Boueri,

    Ref: curta carreira do promissor piloto mexicano RIcardo Rodriguez.

    Novamente você foi muito feliz em fazer um reconhecimento a pilotos como Ricardo Rodriguez.
    A questão do "SE" é sempre complicado. Mas alguns pilotos em que a morte os levaram precocemente, poderiam "se" continuassem vivos em suas épocas mudariam sem duvida a historia do automobilismo mundial.
    Exemplos como os pilotos Von Trips (62 Monza), Ricardo Rodriguez (62 Mexico), brasileiro Christian "Bino" Heins (63 le mans), Jim Clark (68 Hockenheim); Rindt (70 Monza); Pace (76 acidente aéreo); Peterson (78 monza), Senna (94 Imola)... ente outros.
    Fica o reconhecimento.
    bom final de semana a todos.

    ResponderExcluir