10 de março de 2015

Corre ou não corre?

(Nunca antes na história da F1...) Em algum momento de 2014 a Sauber ofereceu um dos cockpits de 2015 para Giedo Van Der Garde (segundo o holandês, com contrato e tudo). Mas aí apareceram Nasr e Ericsson. O primeiro, com uma bolsa de dilmas do Banco do Brasil, e o segundo com dinheiros da Suécia (que não sei como chama o presidente). A equipe, claro, deu um carro pra cada um.

Van Der Lei ficou puto e processou a equipe. Não satisfeito, foi até a Austrália e ganhou o direito de correr pela Sauber em Melbourne. Não quer dinheiro, indenização, porra nenhuma... Quer correr.

Uma loucura!

Existem muitos problemas aí. O primeiro, claro, é da própria Sauber: quem tirar? Afinal, os dois pilotos titulares "bancam" a equipe e, se um sair, pode muito bem pedir a grana de volta (eu pediria). Se isso acontecer, adeus orçamento, adeus temporada 2015, adeus tudo. Estão quebrados! O segundo é do próprio Van der Garde, que não tem sequer molde de banco, nunca andou no carro, não sabe picas de picas.

Que coisa...

2 comentários:

  1. A Suécia não é governada por um presidente mas sim pelo rei Carlos XVI Gustavo.
    Sua moeda corrente é a Coroa Sueca.

    ResponderExcluir