21 de abril de 2015

Campeões!



No Sábado, como eu havia dito, rolou a última etapa da Fórmula Junior no Clube F1BC. E, como disse também, brigávamos pelo título de pilotos (representados pelo Daltton Lima) e pelo de equipes. Pois bem, faturamos ambos. Somos campeões! Somos fodas.

Na classificação eu consegui um 6º lugar, com o tempo de 2m02s914 - e foi chato, porque se eu fosse 0s106 mais rápido largaria em P4, e esse deve ter sido justamente o tempo o que eu perdi ao sair mais lento na penúltima curva da minha segunda tentativa. Paciência, acontece. O Daltton foi o pole, com 2m01s620, enfiando 0s366 no segundo colocado. Uma aberração...

Na corrida, minha única disputa em pista foi com o André Felisberto, logo no início, valendo a quinta posição (ele largou mal e eu consegui passar, mas ele estava mais rápido e conseguiu se recuperar).

A minha estratégia previa parar para colocar um jogo de pneus macios novos faltando 12 minutos para o fim. Eu estava em quarto, e aí surgiu o dilema: parar, perder mais ou menos 30 segundos e tenar recuperar esse tempo na pista ou me segurar com os pneus duros em frangalhos até o final?

Quando o Gabriel Pereira (bem mais rápido) entrou nos boxes bem na minha frente, decidi ficar na pista. Tanto ele quanto o Geovane Carvalho (com quem eu brigava pelo campeonato) chegariam em mim, claro. Estavam mais rápidos desde os treinos e, com os pneus gastos, eu seria presa fácil. Minha esperança era tentar me defender e forçar um erro deles...

O Geovane foi o primeiro a chegar e passar, na volta 22. E, tentando acompanhar ele, cometi meu único erro na corrida: rodei na saída da penúltima curva, o que permitiu que o Gabriel Pereira se aproximasse e me ultrapassasse, na passagem seguinte, a penúltima da corrida.

E foi isso. Larguei em sexto e em sexto cheguei. Fui o 5º colocado no campeonato de pilotos, que nessa temporada viu 31 pilotos diferentes marcarem pontos. Nas equipes, fui responsável por 155 dos 564 pontos que a MidiaSom marcou para ficar com o títuloA maior parte do mérito, porém, também fica com o Daltton Lima, que marcou 315, e o restante foi conseguido graças à constância do Cláudio Teles (94 pontos).

Aí embaixo, como de praxe, a largada e as duas primeiras voltas vistas da minha câmera onboard.



Na temporada que vem (a segunda das três que disputamos ao longo do ano), voltarei a correr na categoria imediatamente acima da Junior: a Light. Será minha sexta temporada nesta categoria, que utiliza atualmente os carros da GP2 - então mais rápidos e ariscos que os GP3 da Junior.

Nenhum comentário:

Postar um comentário