6 de abril de 2015

Virtualmente, na Malásia

Sábado foi dia de etapa da Fórmula Junior no clube F1BC. Penúltima etapa da primeira temporada (corremos três por ano), e como seguimos o calendário da F1, a corrida foi em Sepang, na Malásia.

A classificação aconteceu com pista molhada. Eu até tentei até arriscar uma volta com pneus macios, mas mesmo no raçado estava muito molhado e acabei tendo de mudar para os intermediários, perdendo tempo. Ao contrário do que eu sempre faço, completei apenas uma vota rápida, e me surpreendi em sustentar uma quarta posição a pouco mais de um minuto do final. Com a chuva apertando, era improvável que alguém conseguisse virar mais rápido.

Era improvável mas não impossível... E, perto do fim, tanto o Marc Carvalho quanto o Fábio Ferelli me derrubaram para um modesto (mas ainda bom) P6.

Na largada arrisquei um traçado bem por dentro na Curva 1, e consegui ultrapassar o Gabriel Carvalho, o quinto. E foi só. O André Felisberto se livrou do Claudio Teles e logo colou na minha asa traseira. Neste momento era possível ver três grupos de dois arros, já bem separados na pista - o Daltton e o Diogo Batista desgarrando na frente, depois, mais atrás, o Marc Carvalho e o Fábio Ferelli brigando pela terceira, e eu e o Felisberto brigando pela quinta. O Marc chegou a errar e eu quase consegui passar; mas estava no início ainda, e eu jamais arriscaria uma ultrapassagem que fosse dar merda - e aquela daria.

Ele voltou a abrir e a minha briga se resumiu em tentar segurar o Felisberto mesmo. Ficamos assim por 4 voltas, quando eu me distraí e acabei pegando a zebra na primeira perna do 'esse' de alta e, para não perder a traseira e rodar, acabei passando reto na segunda perna, voltando atrás dele. Não perdi muito tempo, mas fiquei mais para presa do Gabriel Pereira do que para uma ameaça ao Felisberto. O Gabriel estava mais rápido e até passou, mas eu consegui devolver a manobra no final da reta.

Logo depois, o Felisberto encontrou o Diogo Batista lento pela frente (sem a asa dianteira - tinha batido na saída dos boxes, estranho pra cacete), e mesmo assim vendendo caro a posição, e eu e o Gabriel chegamos pra festa. Quando o Diogo entrou nos pits para reparar o carro, ficamos, os três, nos esbarrando por uma volta inteira. Foi o momento de maior tensão, porque já estava chovendo (e nós, com pneus de pista seca).

Depois, já no finalzinho, eu passei o Felisberto na 20, e tomei o troco na 22. Aí, tentei de todas as formas passar até o final da volta 23, mas meus pneus acabaram e eu resolvi tirar o pé e garantir o sexto lugar mesmo.

Com o D. Batista fora de combate (terminou em 8º), o Daltton só teve trabalho com o Fabio Ferelli, que chegou a assumir a ponta, mas depois ficou sem pneus e diminuiu o ritmo pra chegar no final, em segundo. É a 4ª vitória em 6 corridas do Daltton, que precisa apenas de um P9 na China para ser campeão. O Claudio Teles foi 9º, e ajudou a ultrapassarmos a Vakuum no campeonato de equipes.

No vídeo ai embaixo tem a largada e a primeira volta da minha câmera onboard e depois as outras três (até a minha escapada) da câmera da transmissão - mostrando boa parte da briga com o Felisberto. Depois tem mais algumas disputas, e o pega final, que durou até meus pneus acabarem.

3 comentários:

  1. Boa corrida, altos pegas e um grande susto quando você saiu e retornou no "s" de alta, quase bate na roda traseira do meu carro, foi bastante tenso ali. Vlw Jaime, e que venha a próxima etapa. Abç.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu te vi. Só não queria perder muito tempo... hehehe

      Excluir
  2. Achei que tava batido ali ainda, então passou como uma flecha. kkkkkkkkkkkk. Boa.

    ResponderExcluir