24 de maio de 2015

Deu Nico? Deu!

(Será?) Não é novidade que eu ando desanimado com a F1 atual. Hoje mesmo, só vi a largada e as primeiras, sei lá, 30 voltas. Depois dormi, confesso. Mas, convenhamos: quando não tem merda na largada de Mônaco e nem nas 30 voltas seguintes, é sinal de que nada anormal vai acontecer...

Doce engano.

Quando acordei, a TV já mostrava a cerimônia do pódio. Hamilton, que estava anos luz à frente de Rosberguinho, não venceu; não chegou sequer em segundo. Button pontuou. Pérez e Nasr idem (em ótima corrida de ambos). Hulkenberg, que bateu no início, quase beliscou uns pontos... Enfim, de normal mesmo, apenas os abandonos de Maldonado e Alonso - tão certos quanto 2+2 são 4.

Mas, que caralhos aconteceu para Hamilton não ganhar?

A procissão seguia sem grande emoção (e maravilhosamente bem para Hamilton, líder de ponta à ponta) até a volta 63, quando Verstappinho resolveu atropelar Grojã na Saint Devòte e deu de cara no muro, n'um acidente forte e idiota. Faltando 15 voltas para o final, Safety Car na pista e Lewis nos boxes... Peraê! Como assim "Lewis nos boxes"?

Ninguém entendeu! E desconfio que o próprio Senna se revirou, onde quer que esteja. Foi uma cagada homérica! A Mercedes (e só ela) acreditou que Lewis pararia, trocaria pneus - sem a menor necessidade - e voltaria na frente de Rosberguinho e Vettel. Pô... Não né, dona Merça?!

Parêntese aqui: sabendo que ninguém pararia mais e que ele mesmo não precisaria trocar pneus, por que cargas d'água Lewis não ignorou a ordem de box e permaneceu na pista? Não questionou a equipe... Sei lá! "Pô galera, 15 voltas. Nem a pau, Juvenal". Eu, no lugar dele, só pararia com a certeza de que Nico e Vettel parariam também. Caso contrário, nem fodendo! Tô falando que se tirar o rádio da F1 vai ter neguinho sem saber o que fazer dentro do carro...

Fecha parêntese.

Quando se deu conta do que aconteceu, Hamilton abriu o verbo pelo rádio "que merda que vocês fizeram, hein?". A equipe nem respondeu. Com isso, a vitória caiu no colo de Rosberguinho, e o segundo lugar no de Vettel. Na relargada, de pneus supermacios e puto dentro das calças, Hamilton até esboçou um ataque a Vettel, que calçava macios. Mas o cara é tetra-campeão do mundo, ora, e se Senna segurou Mansell em 92', óbvio que Vettel seguraria Lewis. Dito e feito. Trancou a rua de um jeito que nem por cima Hamilton conseguiria passar, e assim se encaminharam até o fim.

No campeonato, Lewis tem 126 pontos contra 116 de Rosberg - que venceu a segunda consecutiva nessa temporada, e pela terceira vez também consecutiva em Mônaco. Antes dele, apenas Graham Hill, Prost e Senna haviam conseguido tal proeza.

A próxima é no Canadá, no dia 7/6... E Montreal é palco de cagadas memoráveis de Hamilton, como o enrosco com Button em 2011, naquela corrida que durou uns 15 dias. Acho que já tiveram outras também, não lembro. E mais: no ano passado a dupla mercêdica sofreu com problemas no MGU-K e, enquanto Lewis abandonou, Rosberguinho se arrastou até o final, e a vitória caiu no colo de Riccardão. 

Ah, tem mais: o Alesi ganhou a única da carreira lá, na mesma Montreal. Ou seja, é outra pista onde "tudo pode acontecer"... Mas esqueçam imprevistos e coisas loucas assim; do jeito que Hamilton terminou hoje, não descarto que, se não bater, ele acaba a corrida uma volta na frente de Rosberguinho. Anotem aí.

Nenhum comentário:

Postar um comentário