9 de junho de 2015

Voar, voar

Já que as 24 Horas de Le Mans acontecem no próximo final de semana, não custa lembrar um dos acidentes mais bizarros que por lá aconteceu: Peter Dumbreck decolando durante edição de 1999, a bordo de uma Mercedes CLR. Lembrando que Mark Webber (ele mesmo!) já havia decolado duas vezes: uma nos treinos e outra no warm-up.

Com isso, o carro de numeral #4 [Mark Webber, Jean-Marc Gounon e Marcel Tiemann] sequer chegou a largar; e quando do acidente de Dumbreck com o carro #5, na volta 75, a Mercedes imediatamente ordenou que o terceiro carro do time, o #6 [do trio Bernd Schneider, Franck Lagorce e Pedro Lamy], abandonasse a disputa.

Explicação rápida.

Foi comprovado que havia uma falha de projeto na aerodinâmica dos CLR: havia muito mais carga aerodinâmica na parte traseira do carro do que na parte dianteira. Isso era um problema apenas quando o piloto saía do vácuo do carro da frente, passando a receber uma maior quantidade de ar de maneira repentina, o que fazia com que a traseira abaixasse e a frente levantasse - com o ar passando por baixo do assoalho reto e liso, o resultado não poderia ser outro...

Aí embaixo, o vídeo da bagaça:

Nenhum comentário:

Postar um comentário