3 de agosto de 2015

Assustador

Acho que já usei esse título antes, quando um Nissan decolou no Nordschleife há um tempo atrás. Mas não há outra definição para o que aconteceu ontem na etapa de Curitiba da Stock Car. Não só pela violência da porrada e as circunstâncias em que aconteceram, mas o assustador" serve também para o estado de abandono do automobilismo brasileiro, que permite que coisas como essa aconteçam na principal categoria do país.

Não vou aqui falar das crianças que invadiram a pista, simplesmente porque não vi a corrida, e muito menos esse lance em específico. Além do mais, o assunto principal foi a porrada... E que porrada! A dinâmica foi simples: Thiago Camilo vinha lento pela direita e foi atingido por Rafa Matos, n'um acidente que também envolveu Felipe Lapenna, Felipe Fraga e Luciano Burti. Se eu estivesse vendo a corrida há uns 4 anos atrás diria "morreram". Mas não, não morreram; e embora eu seja totalmente crítico a esses carros estoqueanos atuais, há de se reconhecer que ontem eles se mostraram seguros, ao menos.


Enfim.

A vocês que viram a corrida, pergunto: sinalizaram com bandeira amarela na curva que antecede a reta? Avisaram a algum piloto pelo rádio que tinha um carro quase parado na reta dos boxes? O problema com Camilo foi antes ou depois da entrada dos boxes? Se foi antes, não recolheu por que? Se foi depois, por que deixou o espaço de mais de um carro entre ele e a linha que delimita a pista do lado direito? 

Com essas respostas chega-se aos "culpados" pelo que aconteceu. Camilo assumiu um risco descomunal, mas não é o único. Como disse, isso envolve sinalização, regulamento, etc... Estão contando com a sorte, e ela não costuma aparecer com muita frequência nas pistas não.

Nenhum comentário:

Postar um comentário