12 de julho de 2018

Quase pódio!

(Melhor corrida da minha vida!) Ah Buenos Aires, Buenos Aires... Gosto da cidade, conheci o autódromo em 2017, em plena lua de mel (e em dia de corrida de 147) e na última terça-feira (10), foi o palco da rodada dupla que corro às terças feiras no clube F1BC. Primeiro de Montana, depois de Renault Fluence (do Brasileiro de Marcas).

Na classificação, onde temos 7 minutos de pista livre, acabei rodando na minha primeira tentativa e perdi uma boa volta. Com isso, restavam cerca de 3 minutos, e eu tive de escolher entre tentar mais duas voltas com os pneus já gastos ou voltar aos boxes, colocar pneus novos e fazer uma única tentativa. Optei pela segunda alternativa e fiz uma volta burocrática, sem arriscar muito, que me rendeu um inesperado P3 - que depois se transformou em um razoável P4 e a certeza: eu estava veloz.

Larguei muito mal e, como a distância até a curva 1 é longa em Buenos Aires, acabei perdendo 2 posições, para o Gefferson Pereira e o João Junior. Ainda na volta 1, errei ao tentar retomar essas posições e perdi mais duas, caindo para P8. Consegui na volta 2 retomar a posição do Tiago Flor e saí à caça do João Junior, da TBR. Estava visivelmente mais rápido, mas, não tinha espaço pra eu passar e, depois de muito tentar, acabei errando 2 vezes e perdi contato.

Na volta 12, metade da corrida (restando 25 minutos par o fim) a galera começou a parar para trocar pneus e eu, em P8, olhei para o indicador de consumo de pneus, e quando vi 54% no composto mais gasto, o dianteiro esquerdo, pensei: eu acho que dá (e "dá", no caso, era não parar nos boxes, e levar o carro até o final). Resolvi arriscar alguma coisa diferente: comecei a monitorar a distância para os carros que estavam imediatamente à minha frente antes da parada pois, se ela começasse a diminuir muito, eu faria a troca e voltaria mais ou menos na mesma posição. Mas, se eu conseguisse manter o ritmo por mais algumas voltas, dava pra tentar levar até o final (mais lento, obviamente) e pular algumas posições.

Volta 16. Com 18 minutos pro final, eu tinha cerca de 5s para o segundo colocado - o André Domingues - que trazia de carona o Felipe Oliveira colado, e 13s para o Pedro Oliveira, o P4. E aí eu tinha o seguinte dilema: segurar os 2 e tentar uma vitória inesperada (mas com isso facilitar a aproximação do Pedro), ou aliviar na disputa pela ponta e garantir um pódio bem mais realista? 

Pergunta se algum piloto em alguma corrida na vida vai pensar em "aliviar" uma disputa, seja ela por qual posição e em qualquer circunstância for ... Resumindo: eu lutei pela vitória, claro!

Na volta 22, restando 7 minutos para o fim o André começou a atacar de forma mais pesada, e foram 2 voltas incríveis - com ataques intensos dele e defesas e trocos (milagrosos, eu diria) meus, até que na 24, faltando 3 minutos para o fim ele conseguiu enfim passar na freada para a curva 1 e o Pedro aproveitou e passou também. Faltavam 3 voltas e eu tinha 10% no pior pneu ... Não tinha mais tração NENHUMA (resultado das defesas de posição tentando ganhar). E a partir daí eu só consegui a olhar pro desgaste a cada curva e pensar: tem que dar!

Um evento inesperado aconteceu aí, com o cronômetro a alguns segundos de zerar: na penúltima volta, seguinte à ultrapassagem sobre mim, o André rodou sozinho e perdeu a liderança, e acabei herdando o pódio. Tinha mais uma volta pela frente, pra tentar salvar o pneu de estourar antes da bandeirada, e rezar por um outro erro dele ao tentar me passar. Isso não aconteceu.

Na penúltima curva da última volta ele colocou de lado - n'um ponto onde normalmente só se passa quando o cara da frente "deixa", e passou. Eu ate tentei retardar a freada, mas não tinha mais como me defender. Era fechar a porta e o pneu acabar ou fazer o finalzinho na ponta dos dedos, levar até o final e salvar o P4.

Aí embaixo o replay oficial da etapa - com narração, já no momento em que eu assumi a liderança da corrida. Mostra todo o desenrolar do que falei aí em cima até o final da prova. Quem gosta de corrida de verdade não pode perder.


Próxima rodada dupla é no Velopark, dia 24 de Julho. Às 20h tem a National Light, com os carros da Copa Montana, e às 22h o Marcas Junior, com os carros do Brasileiro de Marcas. Transmissão ao vivo com narração e comentários na página do facebook do F1BC.

Nenhum comentário:

Postar um comentário